domingo, 21 de junho de 2015

O OUTRO FILHO


Autor: Alexander Söderberg

Título original: The other son



Sinopse: Enquanto Hector Guzman se encontra em estado de coma, o seu império definha lentamente. Aron Geisler, o seu braço direito, esforça-se para manter o barco à superfície. Sophie Brinkmann está dominada e é usada para manipular os parceiros de negócio e inimigos, levando-os a pensar que está tudo sob controlo... Mas essa não é a realidade.
Quando o irmão de Hector é assassinado em Biarritz, Sophie acha que pode impedir que uma série de acontecimentos sejam desencadeados. Mas uma boa decisão leva a um resultado errado... terrivelmente errado.
Sophie torna-se peão num jogo com regras que desconhece, onde a lealdade e a amizade não têm lugar. Indefesa e sozinha num mundo onde reina a mentira e a violência desmedida, tudo em que acreditava e que a definia, parece-lhe sem sentido.


Após ter lido o primeiro livro desta trilogia (opinião aqui) fiquei com bastante curiosidade para ver onde o autor levaria a história após um final que deixava tudo em aberto. Foi essa curiosidade que me fez começar de imediato a ler para ver, tal como a sinopse indica, como seria a história com Hector em coma. 

Com tal cenário, o livro começa lento, criando o necessário para os acontecimentos da segunda metade do livro. O autor começa por explorar outras personagens e por definir certos conceitos que se desenvolvem com o terminar do primeiro livro, levando a que a conjetura do enredo se altere ligeiramente, principalmente porque algumas personagens têm aqui a oportunidade de conseguirem o que querem, e ao mesmo tempo acabam por ser exploradas pelo autor, tornando o enredo mais abrangente. 

Contudo, aos poucos o ritmo aumenta e começa a prender o leitor. Em muitos aspetos, nota-se que o autor está mais experiente e sabe de forma mais concreta o que quer para esta trilogia. Com isto, os diálogos tornam-se mais objetivos e a narrativa perde-se menos, levando-me a acreditar que este livro tem uma qualidade superior ao anterior, pois tudo faz agora mais sentido. Por outro lado, devido à quebra inicial de ritmo, o livro pode demorar algum tempo a agarrar o leitor. No meu caso tal não aconteceu, talvez por querer saber todas as mudanças que poderiam surgir com a mudança de paradigma no enredo.

Droga, sexo, tráfico... são temas bem aprofundados pelo autor, que aos poucos vão marcando a história com alguns momentos inesperados. O autor tenta fugir a alguns clichés e opta por caminhos mais complicados, mas que acabam por dar frutos, principalmente na forma como começa a desmascarar algumas revelações. Pelo meio outras perguntas se levantam para o último livro da trilogia, tendo agora um caminho mais definido e uma base mais sólida com as suas personagens chave.Todavia, o autor terá agora de dar resposta/explicações sobre alguns momentos que parecem forçados mas que estão ainda "em aberto", dando a noção que podemos não estar a ver todo o cenário.

Existindo ainda um livro para o final da trilogia, não quero aqui revelar nada. O autor consegue um ritmo final alucinante que nos faz ler sem parar. Não é uma obra prima do seu género mas deixa-nos acordados toda a noite para o acabarmos de ler. Fiquei muito curioso para ler o último livro. Se gostaram do livro anterior, acredito que gostem mais de O outro filho.

Luís Pinto

3 comentários:

  1. Convenceste-me a comprar este livro talvez mais para o verão. Li o primeiro e nem sabia que o segundo já tinha saído.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Lembro-me de ter gostado da tua análise ao primeiro mas ainda não o comprei. Sou capaz de comprar os dois agora e ler de seguida que é como gosto mais. Espero que não demorem muito a acabar a trilogia porque parece uma história interessante. Obrigado por não dares spoilers.

    ResponderEliminar
  3. Já foi para a lista.

    ResponderEliminar