sexta-feira, 19 de junho de 2015

INÉS DA MINHA ALMA


Autor: Isabel Allende

Título original: Inés del alma mia




Sinopse: Inés Suarez é uma jovem e humilde costureira, oriunda da Extremadura, que embarca em direção ao Novo Mundo para procurar o marido, extraviado pelos seus sonhos de glória no outro lado do Atlântico. Anseia também por uma vida de aventuras, vedada às mulheres na sociedade do século XVI.
Na América, Inés não encontra o marido, mas sim uma grande paixão: Pedro de Valdivia, mestre de campo de Francisco Pizarro, ao lado de quem Inés enfrenta as incertezas da conquista e fundação do reino do Chile.
Neste romance épico, a força do amor prevalece sobre a rudeza, a violência e a crueldade de um momento histórico inesquecível. Pela mão de Isabel Allende, confirma-se que a realidade pode ser mais surpreendente que a ficção, e igualmente cativante.




Inés da minha alma é um dos romances mais admirados de Allende, principalmente pela fascinante história que descreve e pela força da sua narrativa. Nesta obra, em que Inés nos conta as suas memórias, Allende faz um trabalho de grande qualidade a misturar ficção com realidade. Somos várias vezes confrontados com momentos ou personagens históricas que tornam tudo mais credível, dando ao livro uma sensação de realismo que torna a leitura mais intensa, como se aquelas palavras tivessem acontecido mesmo.

E é nesta mistura que começamos a ver a história de uma mulher que se torna muito maior do que ela imaginava na sua adolescência. O amor e a convicção podem mover montanhas, podem mudar pessoas, podem torná-las nos criadores de grandes momentos. Inés é a imagem de alguém que foi crescendo, alcançando os seus objetivos, tornando-se o foco numa história de violência, paixão, conquistas, lealdade e traições. E é aqui que entra um dos grandes, e conhecidos, trunfos de Allende: o de criar fascinantes personagens femininas que agarram o leitor. É essa força, determinação e realismo que aos poucos nos faz esquecer que é Allende quem escreve, pois tudo parece sair da mão desta personagem, Inés, pois o realismo, a forma de escrita e o pensamento, conseguem alcançar a singularidade que nos faz acreditar que estamos a "ouvir" aquela personagem.

Um dos fatores para esta sensação está na escrita da autora, capaz de transmitir emoções nos momentos mais importantes, de ter uma força que por vezes não esperamos, e que nos marca, enquanto explora temas difíceis de aprofundar devido à época em que a história se passa, e onde, por exemplo, os direitos das mulheres eram esquecidos, quer por quem governa, como pelo povo, e, em último caso, até pelas próprias mulheres.

De realçar ainda o conjunto de personagens, pois nota-se que Allende não se limita a colocar o seu esforço na construção de Inés. Existe um pequeno, mas credível, conjunto de personagens que tornam o enredo mais coeso e que em boa parte ajuda a vermos outros pontos de vista, outros momentos e outras mentalidades que Inés não possui, sendo estas personagens quem torna a história completa.

Allende criou uma história muito bem montada, emotiva e inteligente. Por momentos pareceu-me que a história se perdera do seu caminho, com diálogos que pareciam menos significativos, mas rapidamente a narrativa voltava a agarrar-me com um simples acontecimento. Retirando um ou outro momento que pode parecer mais forçado, a verdade é que é impossível parar de ler este livro caso gostem do género. A história de Inés fica na memória e abre os horizontes dos leitores. Claramente focado para um público feminino, é um livro recomendado a todos os fãs da autora ou do género. Ficará na vossa memória.

2 comentários:

  1. Uma crítica muito interessante Luís. Gostei bastante do que li e já li três livros da autora que gostei bastante. Estou decidida a ler este nos próximos tempos.

    Boas leituras

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Luis. Novamente fiquei convencido com a sua análise, neste caso a uma grande autora. Irei comprar e terei todo o gosto em dar-lhe uma opinião no futuro.

    ResponderEliminar