quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

AS MENTIRAS DE LOCKE LAMORA


Autor: Scott Lynch

Título original: The Lies of Locke Lamora


Diz-se que o Espinho de Camorr é um espadachim imbatível, um ladrão mestre, um amigo dos pobres, um fantasma que atravessa paredes. De constituição franzina e quase incapaz de pegar numa espada, Locke Lamora é, para mal dos seus pecados, o afamado Espinho.


Após muitas pessoas me recomendarem este livro, decidi lê-lo e em boa hora o fiz, porque se trata de um livro que irá agradar à grande maioria dos leitores que apreciem o género fantástico e eu não fui excepção.
Para mim este livro tem simultaneamente um defeito e uma virtude: concentra-se demasiado na história. Tentarei explicar este meu pensamento começando pelos defeitos do livro que na minha opinião são dois: primeiro o mundo criado por Lynch é bom, uma espécie de Veneza do séc XV (ou algo parecido, não sou historiador) claramente marcada pela corrupção. Um mundo diferente da grande maioria dos livros que tenho lido, com curiosidades que ficam na memória, e uma estrutura social que consegue apoiar os acontecimentos da obra. Mas este livro merecia mais, não por este “mundo” ser mau, mas porque a história é realmente muito boa e então senti que queria saber mais sobre este mundo, mas essas páginas não apareceram. O segundo defeito é a falta de conhecimento que temos de algumas personagens. Uma vez mais, tal como em relação ao “conhecer o mundo da história”, o livro está tão centrado no que acontece, que algumas personagens que são importantes acabam por não ter o seu “espaço” nestas páginas, e ficamos com a sensação que não as conhecemos realmente. E estes são para mim os únicos dois defeitos do livro, mas que acabam por ficar na sombra da qualidade do mesmo. Porque acontecem estes dois "defeitos"? Se tivermos em conta que a história é enorme, seria difícil inserir mais informação num só livro, mas mesmo assim gostava de ter lido mais principalmente sobre algumas personagens que apreciei.

Como disse antes, o grande trunfo deste livro é centrar-se na história, e aqui temos um livro vencedor! Com uma fantasia diferente do usual, capaz de agradar aos mais diversos leitores, Lynch dá-nos uma narrativa interessante, com flashbacks que se apresentam como um ponto alto e de enorme importância para percebermos a história. O ritmo é alto do início ao fim, mas ganha um novo vigor a meio do livro, quando o enredo se começa a revelar, e é neste momento que ficamos definitivamente agarrados ao livro.  
Bons diálogos que ajudam ao ritmo da história e a prender o leitor, momentos divertidos, uma sensação de amizade sempre presente entre as personagens e uma boa dose de mistério, fizeram com que esta leitura nunca fosse aborrecida e a mim viciou-me imenso!

Locke Lamora é obviamente a grande personagem deste livro, criando os grandes momentos, mostrando como a força da amizade é importante neste livro, e desde cedo o leitor recebe a ideia que Lamora é um rapaz com uma capacidade enorme de improvisação e manipulação, conseguindo que pessoas e acontecimentos revertam sempre a seu favor. Esta ideia que se cria é bem sustentada, aumenta a qualidade da história, mas no fim gostava de ter visto Lamora mais surpreendente no seu engenho sem notar alguma sorte à mistura. Gostava de o ver descobrir e "desenvencilhar-se" de tudo apenas com os seus planos! Um pequeno desalento mas que em nada me estragou o prazer de ter lido este livro.

Com uma história muito boa, que oculta os restantes componentes do livro, sem que esses componentes sejam maus, longe disso; uma personagem principal que acabamos inevitavelmente por gostar mesmo que não apreciemos as suas acções; este é um livro que consegue ganhar muitos aplausos e acima de tudo trata-se de um autor que consegue na sua estreia ganhar o seu espaço neste género literário. Uma boa diversificação de personagens, vilões que me preenchem as medidas em alguns aspectos e acima de tudo devo dar os parabéns a Lynch (não que os meus humildes parabéns tenham qualquer tipo de "peso") por ter arriscado no seu primeiro livro com acontecimentos que poderiam afastar um ou outro leitor mas que na realidade só elevam a qualidade da história.
Este livro não será certamente uma obra-prima, mas é um livro que deve ser lido, e muito provavelmente relido, eu pelo menos um dia irei fazê-lo! Aconselho-o a todos os que gostem deste género literário e só não foi uma enorme surpresa para mim porque as expectativas já estavam bastante altas graças ao Paulo Dores. Recomendado!

Devo ainda dizer que apesar de pertencer a uma série de livros, este primeiro volume tem uma história completa, não existindo a necessidade de ler os restantes livros para sabermos como termina esta primeira aventura. No entanto eu quero ler mais, muito mais sobre este Locke Lamora!

20 comentários:

  1. Senti exactamente o moes que tu em relação aos gémeos. Gostava de os conhecer melhor mas pouco é revelado. Esperemos pelo resto da saga!
    Gostei muito da tua opinião!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Rute, sinto isso com os gémeos. Obrigado!

      Eliminar
  2. Ois,

    Gostei de ler a tua critica. Foi para mim o melhor livro que li em 2011, sempre com volte-faces constantes e momentos super engraçados. Lamora é uma personagens e pêras, daqueles que já mais esqueceremos.

    Só tenho pena de não se saber ainda se a Editora vai continuar a publicar a saga, embora este livro funcione bem como Stand-Alone, com as pontas devidamente bem atadas é impossível ficarmos indiferentes e desejar saber mais sobre este malandreco. De certeza que se irá tornar mais Dark :D

    Bem desculpa-me ter-te elevado tanto as expetativas, mas penso ser justo recomendar e elogiar este livro ;)

    Para mim foi uma lufada de ar fresco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulo, eu tenho é de te agradecer teres-me convencido a ler este livro!

      Eliminar
  3. Fiquei com vontade de o ler. Já o quero na minha estante^^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois diz-me o que achaste com o leres.

      Eliminar
  4. Acho que este era o empurrão que me faltava para o comprar. vai ser adquirido no futuro. Obrigado pela crítica.

    ResponderEliminar
  5. Já li o livro e gostei bastante. A tua opinião é muito interessante, pois fala de aspectos que não tinha pensado. Estiveste muito bem.

    ResponderEliminar
  6. Desconhecia esta obra, mas fiquei com imensa vontade de conhecer este Locke Lamora.
    Gostei também muito da capa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá tonsdezul. Também era um livro que se não me fosse tantas vezes recomendado, não o teria lido. As capas da editora Saída de emergência costumam ser muito boas.

      Eliminar
  7. Uma vez mais uma opinião bem construida e que explica o essencial. Um livro para comprar no futuro pelo que vejo. obrigado pela opinião uma vez mais sem revelações de acontecimentos.

    ResponderEliminar
  8. Não conhecia. Fiquei muito curiosa, assim que tiver tempo tento arranjá-lo. Continua!

    ResponderEliminar
  9. Ja ouvira falar mas ainda não me tinha despertado a atenção. Tenho lido sempre tudo o que escreves e este foi uma agradavel surpresa. não olhava para este livro com esperanças. Obrigado. Irei ler um dia.

    ResponderEliminar
  10. Estou quase a acabar este livro e então decidi vir comentar. Até agora estou a perceber totalmente o que disseste e estou muito ansioso pelo fim.Concordo plenamente contigo. Muito boa crítica.

    ResponderEliminar
  11. Fiquei convencido. Vou comprar ou pedir para os anos. Continua que o teu blog é muito bom!

    ResponderEliminar
  12. argh! Também me convenceste neste. E outro para comprar. A minha carteira a reclamar com o teu blog! Excelentes críticas, como hábito.

    ResponderEliminar
  13. Excelente texto, o usual. Em relação ao livro não conhecia, mas vou já pesquisar um pouco. Parece-me muito interessante.

    ResponderEliminar
  14. Mais um livro que me dás a conhecer. Esta crítica deixei-a passar e só agora tive tempo de a ler. Estou mais do que convencido. Parece-me uma leitura agradável. Obrigado Luis. Depois digo-te se gostei.

    ResponderEliminar