segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

O DEUS DO DESERTO



Autor: Wilbur Smith

Título original: River God



Sinopse: Nas vastas planícies do Egito, nas margens do Nilo, surge um herói. Taita, um escravo eunuco liberto, usa com subtileza a sua autoridade. Não só é um dos principais conselheiros do Faraó Tamose, como é também o guardião das suas irmãs mais novas, as princesas Tehuti e Bekatha.
O reino não está em paz. Enfrenta os ataques dos seus inimigos de sempre, os Hicsos do Norte. Taita, filósofo, poeta e um estratega militar exímio, prepara um plano para destruir os exércitos dos Hicsos. Este conduzi-lo-á a uma perigosa jornada pelo Nilo acima até à cidade mágica de Babilónia e, em seguida, mar adentro até Creta. É uma missão de alto risco. E Taita não poderá ignorar as responsabilidades inerentes à segurança das duas princesas Tehuti e Bekatha, cuja atração pelos guerreiros que lideram as tropas ameaça o seu plano meticuloso e o próprio futuro do Egito.




Este livro foi uma agradável surpresa, provavelmente porque não conheço o autor. Wilbur Smith faz uma boa mistura entre ficção e realidade e o seu grande trunfo é a investigação histórica que serve de base à narrativa. Apesar do enredo ser ficção, fica sempre a sensação de que a base é verídica, muito graças aos muitos detalhes que o autor vai explorando e que nos levam a conhecer melhor o mundo e a sociedade no qual a narrativa avança. Com estes detalhe que vão ensinando o leitor o enredo torna-se mais credível, mas sem nunca baixar o ritmo. Espantou-me a forma como o autor, em três ou quatro momentos, conseguiu explorar algo sem baixar o ritmo da ação, fazendo uma boa montagem da história.

Sendo um grande apreciador da sociedade do Antigo Egipto, agradou-me bastante a forma como o autor explora certas cidades e questões sociais da época. É aqui que se nota a investigação do autor, notando-se o conhecimento necessário para criar cenários distintos em cada cidade e para explorar as questões políticas, religiosas e sociais da época, enquanto aprofunda questões militares, quais as forças e quais as limitações da época.

Com isto, o livro consegue levar o leitor por uma viagem muito interessante por várias cidades e locais e que me levam a querer voltar a ler mais livros deste autor. O enredo é interessante e intenso, com alguns momentos mais forçados, mas capaz de agarrar o leitor com facilidade, principalmente pela parte estratégica militar e política. Se gostam de thrillers e o Antigo Egipto é uma civilização que gostam de "visitar", então este livro é para vocês.

Sem comentários:

Enviar um comentário