terça-feira, 26 de setembro de 2017

A ESPADA DO DESTINO


Autor: Andrzej Sapkowski






Sinopse: Venha conhecer os livros que inspiraram o popular jogo - The Witcher
Continuando as histórias narradas em O Terceiro Desejo, este é o regresso do misterioso Geralt de Rivia, um homem temido pela sua reputação de bruxo e assassino sem misericórdia. Ele erra pelas florestas e cidades à caça de monstros e demónios saídos de lendas antigas, protegendo inocentes e vítimas do mal.
As suas aventuras como viajante e feiticeiro irão levá-lo aos quatro cantos do mundo, conhecendo personagens que irão influenciar o seu destino e envolvendo-o nas mais extraordinárias histórias de amor, sacrifício, coragem e compaixão. Aos poucos prepara-se o caminho para o maior desafio da sua vida: a guerra iminente que se avizinha entre todas as raças.




Sendo este o segundo livro da saga que inspirou os jogos The Witcher, as expectativas têm de estar altas, até porque o primeiro livro é bastante bom. No primeiro livro encontramos uma boa criação do mundo que aqui começa a ser explorado. Globalmente, o mundo aqui criado é um dos grandes trunfos do livro e da saga até agora, pela sua coerência e por apresentar detalhes que nos fazem sentir que este mundo está vivo e que faz sentido. A isto junta-se a sensação de que estamos perante um universo com passado que serve de base para o que está a acontecer e também para se compreender as personagens.

Numa fase inicial, até podemos achar que a história se foca demasiado em Geralt, mas a verdade é que não. São vários os momentos em que se nota o esforço do autor em abrir os horizontes ao leitor, explorando outros pontos de vista, mesmo que indiretamente. Com esta "ginástica" na sua narrativa, o autor consegue levar-nos a perceber que a linha que separa os bons dos maus é bastante ténue, oferecendo uma boa dose de realismo e também de imprevisibilidade ao enredo.

Com um ritmo bem conseguido, tal como a montagem da própria narrativa, o livro é lido a grande velocidade, sendo fácil agarrar o leitor, até porque a personagem é bastante cativante. Outro aspeto que o autor explora bastante bem está no facto de serem vários os momentos em que o livro relembra o leitor de que ainda há muito sobre este mundo que não foi revelado, levantando novas questões de forma coerente.

Estando ainda numa fase inicial da saga, não há muito mais a dizer. Em vários aspetos o autor consegue melhorar em relação ao livro anterior, principalmente porque consegue explorar o mundo que começou a criar na obra anterior, oferecendo oportunidades que fazem a diferença. Inteligente, coerente, viciante e capaz de surpreender, este é um dos melhores livros de fantasia que li este ano, e um livro que os fãs do género irão adorar. Agora é esperar pelo próximo, porque esta saga promete!

Luís Pinto



Sem comentários:

Enviar um comentário