segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O OLHAR DA MENTE


Autor: Hakan Nesser

Título original: Det grovmaskiga nätet




Sinopse: Uma manhã, o conceituado professor Janek Mitter acorda completamente desorientado no seu apartamento. Com a cabeça a latejar, sem se lembrar de nada da noite anterior, vagueia pela casa até encontrar a mulher, Eva Ringmar, morta na banheira. Apesar de Mitter ter chamado logo a polícia, é considerado o principal suspeito do crime.
Quando o experiente inspetor Van Veeteren é chamado para investigar o caso, duvida imediatamente da simplicidade do mesmo, mas Mitter acaba por ser julgado pelo homicídio da sua companheira e é condenado a cumprir pena num hospital psiquiátrico.
Quando, pouco tempo depois, o professor aparece assassinado no hospício, Van Veeteren reabre o caso e avança com uma investigação às duas mortes. Partindo de uma carta enviada por Mitter pouco tempo antes da sua morte, o inspetor entra numa aterradora viagem a um passado terrivelmente sombrio.
 

Este é um livro que tenta agarrar o leitor desde o início ao dar a sensação de que estamos perante algo mal contado e que existe injustiça no que está a acontecer. Com isto como base, o livro começa a desenvolver as suas personagens com inteligência e uma boa camada de mistério. O enredo está bem montado na generalidade apesar existirem alguns momentos forçados em que o autor tenta manter o suspense sobre algo que o leitor já poderá ter adivinhado. 

A escrita, simples e objetiva, ajuda a que o ritmo seja sempre elevado, apesar de por vezes falhar ao não conseguir mascarar alguns detalhes que mais tarde serão importantes mas que o leitor não deveria já identificar como fulcrais. 

Com um ritmo em crescendo e sempre uma sensação de injustiça, o livro apresenta bons momentos, principalmente porque o autor consegue de forma simples criar um ambiente capaz de nos envolver. No entanto, existem alguns aspetos e temas que gostava de ter visto o autor a explorar melhor, mesmo que sendo obrigado a diminuir o ritmo. É verdade que o personagem principal está bem criado, com bastante destaque e profundo o suficiente para percebermos o que o move e os seus traumas, mesmo percebendo-se que muito fica por explicar em relação ao personagem. 

O enredo é inteligente mas nunca consegue ser fantástico, faltando talvez aquele momento que nos deixa de boca aberta de surpresa. O facto de ser um livro rápido e bastante focado no tema principal, leva a que alguns momentos sejam mais óbvios ou mais forçados. Todavia, e apesar de não ser um livro que me tenha surpreendido, o suspense está mesmo muito bem conseguido e cria uma boa personagem principal para próximos livros. Quando acabei o livro ficou a sensação que poderia ser melhor, principalmente porque a personagem principal está muito bem criada, sendo uma lufada de ar fresco no género. Não é uma obra prima mas tem bons momentos. Se gostam de policiais, este pode ser uma boa escolha, principalmente pelo ambiente que consegue criar.

Luís Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário