terça-feira, 25 de agosto de 2015

O LAGO DOS SONHOS


Autor: Juliet Marillier

Título original: Dreamer's pool



Sinopse: Em troca de ajuda para escapar a um longo e injusto encarceramento, a amarga curandeira mágica Blackthorn jurou pôr de lado o seu desejo de vingança contra o homem que destruiu tudo o que lhe era querido. Seguida por um companheiro de clausura, um homem grande e silencioso chamado Grim, ela viaja para o norte, rumo a Dalriada. Aqui, viverá na orla de uma misteriosa floresta e terá de cumprir, durante sete anos, a promessa que fez ao seu libertador: aceder a todos os pedidos de socorro que lhe forem dirigidos. Oran, príncipe herdeiro do trono de Dalriada, esperou com ansiedade a chegada da sua noiva, Lady Flidais. Conhece-a apenas por via de um retrato e da poética correspondência que trocaram entre si e que um dia o convenceu de que Flidais era o seu verdadeiro amor. Oran descobre, porém, que as cartas também mentem, pois, embora igual em aparência à imagem no retrato, a sua noiva vem a revelar-se uma mulher muito diferente da criatura sensível e sonhadora que escreveu aquelas cartas. Nas vésperas do seu casamento, o príncipe não vê saída para a o seu dilema. Mas corre o rumor de que Blackthorn possui um dom extraordinário para a resolução de problemas espinhosos, e ele pede a sua ajuda. Para salvar Oran das suas insidiosas núpcias, Blackthorn e Grim vão precisar de todos os seus recursos: coragem, engenho, astúcia e talvez até um pouco  de magia.
 


Este é o primeiro livro que leio de Juliet Marilier. Sim, acredito que tal falha na minha biblioteca seja um crime, mas que irei corrigir no futuro. A verdade é que não começo pelas mais famosas sagas da autora, mas sim pela mais recente, e o que encontrei foi um livro mais sombrio e mais maduro do que esperava, e que me agradou bastante.

Este livro envolve-se, essencialmente, de três personagens e é aqui que, para mim, está o grande dom da autora neste livro... nas três personagens incrivelmente bem criadas, coerentes e distintas, capazes de me surpreender e de me levar a criar uma ligação. É fantástico quando um livro nos liga assim a personagens que não são mais do que palavras numa folha. Só por isto, Marilier já me convenceu a ler mais livros seus, mas ainda há mais.

Em termos de enredo, e sendo este o primeiro livro de uma trilogia, a autora fez um bom trabalho, criando um mundo com bases coerentes e com grande potencialidade para ser explorado. No entanto, o enredo em si não é arrebatador pois as revelações finais foram indiretamente reveladas pela autora, que nos quer levar a pensar durante a leitura. Todavia, este enredo, mesmo sofrendo por ser o primeiro e por deixar muitas perguntas no ar, a verdade é que nos agarra desde o primeiro momento com o seu ritmo forte e ação interessante. Entramos neste mundo quase sem sentir, de uma vez, e a leitura torna-se mágica...

E é aos poucos que se sente que estamos num mundo que, como os fãs costumam dizer, apenas Marilier consegue criar. Muito do que lemos aqui é realmente mágico e encaixa perfeitamente com o que a autora oferece no enredo, levando a que tudo encaixe e muito pouco pareça forçado. A isto alia-se uma escrita bastante trabalhada no objetivo de nos levar a visualizar cenários de grande beleza, mas também momentos de tristeza ou alegria. Neste livro existe, sob um olhar geral, uma montanha russa de sentimentos que a autora sabe explorar muito bem, tornando o livro adulto, tal como tinha referido no início.

Sendo o primeiro livro, não vou alongar-me, mas posso já dizer que a qualidade da autora é palpável desde o início, e certamente irei ler mais livros de Marilier. Enquanto trilogia é difícil dizer se será fantástico, mas tem tudo para o ser, a ver por este início. Voltarei a esta autora assim que possível e também a esta saga, mal o próximo livro seja editado.  

Luís Pinto

4 comentários:

  1. Gostei bastante desta análise. Parabéns. Vou estar atento ao livro e às criticas aqui desta saga.

    ResponderEliminar
  2. Vai para a lista. Não sou um grande fã da autora mas falas aqui de temas que me agradam. Parabéns pela crítica.

    ResponderEliminar
  3. Aconselho vivamente os primeiros livros da triologia de Sevenwaters, bem como O Filho de Thor!
    São fantásticos!

    ResponderEliminar