quarta-feira, 5 de junho de 2019

JOGOS DE MINDFULNESS


Autor: Susan Kaiser Greenland 



Sinopse: Jogos de Mindfulness é mais do que um simples livro de exercícios de concentração, meditação e atenção plena. As atividades divertidas e pedagógicas aqui propostas foram desenvolvidas e testadas com crianças e os seus educadores ao longo de vários anos de trabalho. Susan Kaiser Greenland convida ainda os pais a jogarem para desenvolverem a sua própria atenção, equilíbrio e compaixão.
São 60 atividades muito fáceis, divididas por idades e temas, que levam as crianças e os adolescentes a desenvolverem o mindfulness enquanto aprendem a controlar as suas emoções e a responder a qualquer situação com calma, bondade e compaixão. Um livro pensado para os mais jovens, mas com o qual toda a família ganha.
Inclui 60 atividades divertidas para crianças, adolescentes e famílias!


O que vos posso dizer logo à partida é que não sou um praticante regular de mindfulness ou qualquer tipo de iniciativa que me leva a um estado mental mais calmo, ou focado, etc... já experimentei mindfulness, senti os seus efeitos no pouco tempo em que experimentei, e é algo que aconselho mesmo sabendo que eu próprio não pratico. E por isso mesmo, desde já peço desculpa se usar aqui algum termo de forma errada.

Posto isto, olhei para este livro e achei que era uma ideia muito interessante e apelativa, capaz de chamar pessoas para este conceito, principalmente a malta mais jovem. Com cerca de 60 exercícios simples e criativos, a autora leva-nos a experimentar o mindfulness de forma mais divertida, mais entusiasmante, graças a um conceito muito usado, por exemplo em empresas de informática, chamado de gamification. O objetivo neste caso é de colocar regras e objetivos num jogo que nos leva a atingir os estados que são o objetivo do mindfulness.

E é nessa base que avançamos. Seguindo regras, jogando de forma divertida e acabamos por "fazer" mindfulness quase sem notarmos. Esta ideia que eu não conhecia, parece-me fazer muito sentido, principalmente para leitores mais jovens ou para pessoas que possam fazer mindfulness em conjunto.

E portanto, decidi experimentar. E valeu a pena.

De um ponto de vista crítico, o livro está bem montado, com uma progressão interessante de um jogo para o seguinte, tal como se esperaria de um livro que nos coloca desafios. E com isto o livro vai avançando com facilidade, o que é de aplaudir, porque quando acabava um desafio, tinha vontade de experimentar o próximo, e é mesmo isso o objetivo do livro: o de tornar este conceito apelativo. É por isto que me parece óbvio que será um bom livro para algumas crianças, que com o conceito de jogo poderão dar uma oportunidade a algo que de outra forma seria de imediato descartado. 

Mas o livro não é feito apenas para os mais novos. Qualquer adulto poderá retirar daqui bons momentos, viciar-se nestes desafios e compreender que aos poucos está a adquirir os conhecimentos necessários para praticar mindfulness com alguma base sólida.

Como vos disse no início, percebo muito pouco deste tema. Não consigo, de forma crítica, analisar se o livro me leva a praticar mindfulness da forma mais produtiva, mas a verdade é que me levou a praticar, e esse era o objetivo do livro. Se procuram algum assim estimulante para vos ajudar com este tema, então parece-me um livro a ter em casa.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário