sexta-feira, 14 de junho de 2019

A ILHA DO CONHECIMENTO


Autor: Marcelo Gleiser



Sinopse: Haverá respostas para todas as perguntas? Poderemos saber tudo sobre o Cosmos? Existirá algo como a natureza verdadeira ou última da realidade? Ser humano é querer saber, mas aquilo que conseguimos apreender é uma minúscula fração do que «há lá fora». Em A Ilha do Conhecimento, o físico Marcelo Gleiser retraça a investigação das respostas às questões fundamentais da existência. Ao fazê-lo, chega a uma conclusão provocadora: a ciência, a principal ferramenta que utilizamos para encontrar respostas, tem limites estritos. A essência da realidade é incognoscível. Ao narrar a história empolgante da investigação científica, A Ilha do Conhecimento apresenta uma análise muito original das ideias de alguns dos maiores pensadores da história, de Platão a Einstein, fazendo-nos refletir sobre o significado de se ser humano num universo dominado pelo mistério.


Decidi ler este livro pela abordagem diferente que apresenta. Raramente um livro se foca nos limites da própria ciência e aqui o autor explora bastante essa ideia. No entanto, uma coisa tem de ficar clara: não é um livro que vá agradar a todos os leitores, pois este não é um livro sobre conhecimento, mas sobre o que é o conhecimento e como é que o estamos a agrupar e descobrir.

É, por isso, um livro muito mais filosófico e muito menos científico do que se poderia esperar, tendo um equilíbrio interessante entre as duas formas de avaliar e pensar sobre algo. O livro avança com calma enquanto questiona tudo, desde a nossa forma de pensar, como a ciência está estruturada, como nos limita, tal como os nossos sentidos nos limitam. É tudo uma questão de percepção de realidade?

Gostei da forma como o livro avançou, com um ritmo baixo, não deixando buracos pelo caminho e dando espaço ao leitor para pensar e retirar as suas conclusões. Num livro deste género é essencial que o autor dê espaço ao leitor para pensar e questionar, não só o tema, mas também o que o autor escreveu. E foi isso que fiz. Claro que alguns temas foram mais interessantes do que outros, claro que em alguns momentos questionei o que estava a ler, e é esse o objetivo do livro, de nos levara a questionar e pensar sobre o tema.

É, graças a isso, um livro que se lê com alguma facilidade e que não se limita a debitar conhecimento, mas sim a empurrar-nos para um estado mais crítica e que questione algumas coisas. com isto o autor tenta perceber até onde pode ir o nosso conhecimento, a nossa forma de viver a realidade, de percepcionar o que nos rodeia, tentando descobrir quais poderão ser os nossos limites.

Globalmente é um livro que tem tanto de teoria como de pressupostos. Não é um livro para qualquer leitor, mas se procuram algo dentro deste estilo e se a sinopse vos deixou curiosos, então será uma leitura muito interessante.

Luís Pinto




Sem comentários:

Enviar um comentário