segunda-feira, 13 de maio de 2019

BREVE HISTÓRIA DA IDEOLOGIA OCIDENTAL


Autor: Rolf Petri


Sinopse: Vivemos numa era «pós-ideológica». Mas quando assistimos aos noticiários televisivos ouvimos líderes políticos que falam sobre sociedades «avançadas», especialistas em geopolítica que sugerem intervenções «humanitárias», e pivôs de telejornais que classificam um homicídio como «bárbaro». Que significa tudo isto? 
Numa obra abrangente, Rolf Petri revela como a linguagem política quotidiana está repleta de representações ideológicas do mundo, e situa-as numa narrativa histórica acessível.
Da secularização da Europa e do projeto iluminista de «civilização» à preocupação contemporânea com catástrofes ideológicas ou com o fim da história, este livro distingue os elementos nucleares da ideologia ocidental. Chamando a atenção para o carácter ideológico da mundivisão ocidental, e para as suas falhas e limitações, este livro adverte para os perigos que decorrem da arrogância das mentalidades.



Quando li a sinopse deste livro, confesso que fiquei bastante curioso. O livro promete abordar um tema que raramente é discutido, mas que está sempre presente nas nossas vidas. Afinal, como foi criada a ideologia atual da nossa sociedade ocidental e, até que ponto, está correta?

Foi com estas ideias que decidi avançar neste livro e agora que devo fazer a análise, quero explorar ao mínimo alguns dos conceitos presentes para não estragar a leitura de quem quiser ler estas páginas. Este é um livro para se ler, que nos leva a pensar, que devemos questionar, retirar conclusões e continuar a avançar. É um livro que agradará a todos os que queiram explorar este tema, principalmente pela forma como nos leva a pensar.

Um dos trunfos do livro está no facto de não dos empurrar para uma ideia ou conclusão. É um livro que nos leva a questionar, a encontrar pontos de contacto entre a realidade que conhecemos e os conceitos explorados pelo autor. E com isso, o autor explora ideias de um ponto de vista mais macro, e nós de um ponto de vista mais micro, mais focado na nossa realidade social.

Após explorar bem a base dos nosso ideais, após explorar o caminho que nos trouxe até aqui, o autor começa a questionar muito do que se diz e se faz. O poder das palavras é importante na nossa sociedade, sempre foi, e assim continuará. A forma como dizemos algo, as palavras que usamos, fazem a diferença. E o autor explora tudo isso, focado nas nossas limitações enquanto sociedade, nos perigos do que criamos, do que não queremos ver ou do que achamos não ter importância. Tudo isto misturado num livro bem estruturado, bem montado e que voltarei a ler, se possível, daqui a muitos anos, para o comparar com o futuro. Até onde nos levará o nosso conhecimento, a nossa arrogância, a nossa necessidade de termos sempre mais e mais, mesmo contra certos ideais.

Não quero explorar as ideias do autor porque estas devem ser lidas no livro, pela ordem certa, com o contexto certo. O que posso dizer é que este é um livro interessante, bem escrito, bem montado, e com um grande trabalho de investigação. Em nenhum momento foi demasiado denso e a imagem global da nossa sociedade está muito bem trabalhada. Um livro a ler sem reservas, se este tema vos interessar.

Luís Pinto



Sem comentários:

Enviar um comentário