quinta-feira, 14 de agosto de 2014

CLUBE DE PATIFES


Autor: Dan Simmons

Título original: The Crook factory


Sinopse: Cuba. 1942. Ernest Hemingway descobre um segredo tão perigoso que só há uma fuga possível: o suicídio. Um thriller soberbo baseado em factos verídicos e com uma versão arrepiante para a verdadeira razão da morte do escritor. No Verão de 1942, Joe Lucas, agente do FBI, chega a Cuba por ordens de J. Edgar Hoover para manter Hemingway debaixo de olho. O famoso escritor reunira um grupo, a que chamara Clube de Patifes, para se envolver num perigoso jogo amador de espionagem. Mas é então que Lucas e Hemingway, contra todas as expectativas, descobrem informações secretas vitais... e o jogo torna-se verdadeiramente mortal. Em Clube de Patifes, Dan Simmons desenvolve os factos conhecidos e transforma-os numa grande obra de suspense histórico nas paisagens sensuais da Cuba dos anos quarenta.



Dan Simmons é mundialmente conhecido pela sua saga Hyperion, mas em Portugal são outros os livros que o tornam famoso. Simmons consegue agarrar um facto histórico e com facilidade criar um enredo empolgante e com inteligência, levando-me a querer descobrir que final o autor nos preparou. 

Tal como em "O Terror", que já comentei há uns anos no blog, Simmons apresenta um notável trabalho de pesquisa que tem como resultado conseguir criar um enredo onde é difícil perceber onde acabam os factos e começa a ficção. Este é o maior elogio que se pode dar a este livro, mas também é preciso salientar a forma como o autor consegue montar o enredo. Simmons estrutura a narrativa por forma a não nos dar informação "à balda", mas sim com um sentido que ajuda à progressão da história. Todavia nem tudo é fantástico e até meio do livro o ritmo é bastante baixo, com o autor a criar uma base sólida para o seu enredo sacrificando o ritmo.

Na segunda metade do livro a narrativa acelera bastante, com momentos muito bem executados que agarram definitivamente o autor. A força do ritmo nesta fase final apenas é conseguida porque já temos o conhecimento necessário para percebermos tudo o que está a acontecer, e esse conhecimento é fornecido na primeira parte do livro. Caso para dizer que o sacrifício das primeiras páginas é muito recompensado no final.

Em termos de personagens também temos um fantástico trabalho de pesquisa, com o autor a manipular personalidades históricas para as encaixar no enredo, mas sem nunca perder como base os factos históricos. São vários os nomes famosos que irão reconhecer neste enredo e apenas não revelo alguns para não estragar algumas surpresas. No entanto, Hemingway destaca-se facilmente para encher o livro com algumas ideias e questões morais que marcam o livro mesmo que indiretamente.

Por fim devo salientar o trabalho do autor em nos explicar como funcionam alguns tópicos nos serviços de informações para que seja possível, ao leitor menos conhecedor, perceber a enorme teia de informações e interesses que vagueiam por este livro, sendo a base que explica algumas das decisões mais difíceis de compreender neste livro.

Simmons oferece um livro que apenas peca por ser muito lento na primeira metade. O trabalho de pesquisa é fantástico e o enredo encaixa muito bem nos factos históricos, criando um thriller que vicia na segunda metade e não nos larga até ao final. Não é o melhor livro do autor, mas se gostam do género e do tema, então preparem-se para uma grande e intensa viagem nas teias de espionagem com a companhia de Hemingway, e este será um personagem que não esquecerão tão cedo!

Luís Pinto

3 comentários:

  1. Viva Luís,

    Para mim é o melhor escritor do catalogo da coleção BANG! já li tudo, espero que publiquem mais livros do escritor ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Livro a comprar de certeza. Boa análise e uma história que parece interessante.

    ResponderEliminar
  3. Estou como o Gus. Um livro que parece interessante e já ouvi falar muito bem do escritor e parabéns pela análise!

    ResponderEliminar