segunda-feira, 24 de outubro de 2011

HARRY POTTER e a Pedra Filosofal

Autor: J. K. Rowling

Título original: Harry Potter and the Philosopher’s Stone


Tinha talvez uns oito anos quando comecei a ler os livros d’Os Cinco. Li-os compulsivamente, os 21 livros das aventuras dos quatro primos e do seu cão. Depois, não sei explicar porquê, estive uns cinco anos sem ler qualquer página. Este foi o livro que me fez ressuscitar o vício da leitura, deveria ter uns 15 anos. Uma amiga da escola, que mais tarde se tornaria na minha namorada, emprestou-me este livro e adorei. Como poderia não adorar? Quantas pessoas no mundo leram este livro com 15 anos e não gostaram? Se calhar contava-os com as duas mãos.
Não há livro deste feiticeiro que não tenha lido pelo menos duas vezes, e alguns casos terão sido umas quatro, mas ainda hoje se voltasse a ler, ficaria tão viciado como fiquei na primeira vez. 

Falando especificamente deste livro, Rowling apresenta-nos um mundo fantástico, envolvente, um mundo no qual gostaríamos de viver. Que adolescente não preferiria estudar magia do que matemática ou biologia? Pois. Para além disto, Rowling junta-lhe ainda uma escola onde há equipas, pontos para dar e retirar aos alunos, um desporto pelo qual todos são fanáticos, fantasmas amigáveis, uma personagem principal que é famosa, etc… Rowling apresentava só e apenas o “mundo” mais lucrativo de sempre (e pensar que tantas editoras rejeitaram este livro). 
Outro ponto muito positivo são as personagens, que não demonstrando uma profundidade neste livro que nos leve a pensar “que personagem bem criada”, a verdade é que encaixam no mundo, falando sobre ele, movimentando-se consoante os condicionalismos deste mundo mágico e no fim percebemos que tudo serviu para afastar este mundo do real, mas tudo o que era necessário e palpável estava ali, para ser lido, tornando-o quase real.  A imaginação de Rowling, quer se goste quer não, é prodigiosa! Claro que termos 15 anos quando o lemos ajudará ao fascínio que adquiri por este mundo, mas o óbvio tem de ser dito: a criação de Rowling tem uma qualidade inegável e que agora, com 26 anos, me é muito mais perceptível do que antes.
A história já é conhecida por todos, afinal de contas este livro “pôs” o mundo a ler e esta geração que agora lê George R. R. Martin e muitos outros autores que agora vendem, é a mesma geração que leu Harry Potter e cresceu com este feiticeiro e seus amigos. 
Sendo o primeiro livro, a introdução ao mundo mágico é incrivelmente bem feita, nunca sendo maçadora, cai-nos à frente com uma naturalidade tal que nos faz sonhar com tal mundo, imaginar como seria se existisse mesmo. As personagens principais são apresentadas e desde cedo percebemos as suas personalidades, começando logo a ser delineado o caminho que nos levará até ao sétimo livro. Para quem como eu, tenha relido estes livros, percebe-se como Rowling desde o início sabia como a história iria acabar. Tal sensação aumentará a cada livro e aqui a autora mostra uma mestria fora do normal. Como história em si, este primeiro livro não deslumbra, pois serve mais como introdução do mundo e do passado de HP do que para desenvolver a história em si, mas será sempre viciante e fundamental para se perceber a história da saga.
Os diálogos são bons, ajudando à exploração do mundo e das personagens, com momentos de humor bem conseguidos e a escrita de Rowling é neste livro mais infantil e evolui juntamente com o próprio Harry Potter, culminando num sétimo livro mais dirigido para adultos do que para adolescentes.
Esta foi a única saga que me dei ao trabalho de ler em inglês simplesmente porque não aguentava a espera da tradução. Esta é a saga que me introduziu ao fantástico, género que nunca mais larguei e tenho perfeita consciência de um simples facto: se daqui a muitos anos voltar a lê-los, mesmo após ter lido os grandes clássicos do género, este feiticeiro e o seu mundo continuarão a viciar-me, fascinar-me e irei certamente dá-los aos meus filhos para o lerem.
  
Uma saga imperdível, um começo excelente neste primeiro livro, que não sendo uma obra-prima, é obrigatório por tudo o que nos oferece. É como se conseguíssemos ser felizes por entrarmos neste mundo, e quem não quer ser feliz? Sendo certamente mais viciante para adolescentes e mais compreendida pelos adultos, os livros merecem ser lidos, esqueçam os filmes! Cada vez que vejo uma adaptação cinematográfica de Harry Potter sinto uma facada nas costas por serem tão más! Se és daqueles fãs de HP que só viram os filmes, lê os livros! Lê os livros!
Poderia estar aqui o dia todo a falar de HP, mas deixarei o resto para os próximos livros, onde falarei mais da história, personagens e sua evolução.
Até lá, obrigado J. K. Rowling.

8 comentários:

  1. Nunca li estes livros e fiquei espantado por gostares tanto do harry potter. tendo o teu blog já tantos livros de fantasia, falares desta saga com tão grande fervor ajudou a aumentar a minha vontade de os ler. já mais três pessoas me dizem para ler mas nunca aconteceu. acho que acabarei por lhe dar uma hipotese.

    ResponderEliminar
  2. Os melhores livros de sempre! amei cada livro da Rowling apesar deste não ser dos meus preferidos. Gostei muito da tua opinião, com entusiasmo e esclarecedor.
    Continua! fala dos proximos.

    ResponderEliminar
  3. Gostei bastante de uma frase tua

    "É como se conseguíssemos ser felizes por entrarmos neste mundo, e quem não quer ser feliz?"

    Continua, os teus textos são de grande qualidade!

    ResponderEliminar
  4. Para mim um fã de Harry Potter não pode gostar dos filmes. Apresentam com cada falha mais parva que nem sei classificar. Os livros são fantásticos. Concordo contigo principalmente na ideia que quem tenha visto os filmes goste, mas depois de lermos os livros o panorama é outro, muito melhor. Gostei muito da tua opinião. Continua nesta saga.

    ResponderEliminar
  5. Li estes livros quando tinha os meus 8-9 anos... o Harry Potter foi a minha porta para o mundo dos livros de fantasia. Após ter lido esta saga abri-me à fantasia e por isso é um marco na minha vida!!!

    ResponderEliminar
  6. Filipa, já somos dois. Eu comecei a lê-los com 15 anos, e foi o início de muitas sagas de fantasia que se seguiram.

    ResponderEliminar
  7. o livro de nova capa e a mesma historia ou muda a historia?ou so muda a capa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apenas a capa é diferente. a história é igual.

      Eliminar