quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

O ÚLTIMO TUDOR


Autor: Philippa Gregory



Sinopse: Três irmãs. Três vidas. Três formas de poder.
A história de Joana Grey e suas irmãs que ousaram desafiar as suas rainhas.

Joana
O pai de Joana Grey e os seus conspiradores convencem o rei Eduardo VI a nomear Joana, sua prima, para o trono, em vez da sua meia-irmã Maria. Joana é acalmada rainha e reina durante nove dias. Maria rapidamente reuniu um exército e reivindicou a coroa encarcerando a prima na Torre. Quando Joana se recusa a trair a fé protestante, Maria manda executá-la.

Katherine
"Aprende a morrer" são as palavras que Joana escreve numa carta para a irmã. Katherine só tem intenção de desfrutar da sua beleza e juventude e encontrar o amor. Mas a linhagem torna-a uma ameaça para a insegura e infértil rainha Maria e, quando esta morre, para a irmã, a rainha Isabel, que nunca permitirá que Katherine se case e produza um potencial herdeiro real antes dela. Quando o casamento secreto de Katherine é revelado pela sua gravidez, também ele vai pra a Torre.

Mary
"Adeus minha irmã", escreve Katherine para a irmã mais nova. Mary está consciente da posição perigosa como possível herdeira do trono, mas está determinada a comandar o seu destino, enfrentando a desconfiança e a crueldade da sua prima Isabel.




Quem conhece esta autora sabe que a qualidade está garantida, tal como a capacidade única de nos levar para este mundo e época de realeza inglesa, onde as conspirações são a base de tudo o que acontece à volta do trono.

Este é mais um livro muito interessante e capaz de agarrar qualquer leitor que aprecie o género. Gregory começa por nos mostrar as personagens principais com grande suavidade, sendo fácil ficarmos a conhecer estas três irmãs. As três personalidades, bastante distintas, são o grande foco deste livro, pela forma como interagem, como decidem as sua ações, como cada uma tenta sobreviver à sua maneira. são três jogos de poder bem diferentes, bem definidos, com o leitor a nem saber por quem torcer, sem saber qual delas poderá vencer no fim, se é que existirá uma vencedora.

Como sempre, o ambiente está muito bem criado, com detalhes fantásticos sobre como era a vida nesta época, com grandes contrastes sociais, religião como grande foco e a política, conspirações e espionagem a serem os motores de toda a vida na realeza. Um impressionante jogo de interesses que a autora explora muito bem nestas páginas. Um grande trabalho de investigação, já o normal nos livros da autora.

Como em todos os livros, a autora faz um livro de leitura fácil e escrita suave, mas sem deixar de explorar temas importantes, principalmente sociais. Com bons diálogos e bons momentos, apesar de alguns mais forçados, o aplauso vai para as três irmãs e para a forma como empurram esta história para um final muito bem conseguido, sempre com alguma tensão no ar em cada página. Existem momentos que nos marcam, não só pelas decisões que são tomadas, mas principalmente pela fomra como a autora explora certos factos desta sociedade num enorme contraste de riqueza ou influência, sem nunca se esquecer de manter um nevoeiro impulsionado pela religião. Gregory é o grande nome da literatura que explora esta época inglesa e este é mais um livro que o comprova. Não é o seu melhor livro, mas é uma obra que irá agradar a todos os seus fãs ou aqueles que procuram um bom romance histórico.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário