terça-feira, 13 de dezembro de 2011

HARRY POTTER e a Ordem da Fénix

Autor: J. K. Rowling

Título original: Harry Potter and the Order of the Phoenix



Quando comecei a ler este livro já há muito tempo o Harry Potter era a minha saga de eleição. Devorara os livros anteriores, esperara impacientemente por este e no fim o sabor foi uma mistura entre ter gostado porque é um Harry Potter, e não ter gostado porque era um Harry Potter.
Passo a explicar: Rowling deixara-me maravilhado com o livro anterior. Voldemort estava de volta, a história estava mais negra, mais madura e agora a saga aproximava-se do fim. As expectativas eram altas para este livro e a verdade é que o devorei como qualquer outro. No entanto, apesar de ter adorado ler mais páginas desta saga, o livro em si foi uma pequena desilusão (como já referi as expectativas eram muito altas).

Este livro não é mau, longe disso, mas tem pequenos problemas que o tornam o pior da saga na minha humilde opinião. Primeiro é um livro lento, algo que nunca acontecera na série. Depois há ali muita coisa que talvez não necessitasse de estar lá, e por fim há a questão de como a história é empurrada para um específico acontecimento final. É de tal forma notório como a autora nos empurra para esse acontecimento que fiquei deveras desiludido. Outro factor que me chateou foi o facto de Harry passar grande parte do livro chateado, de forma algo incongruente com a sua personalidade dos livros anteriores, pelo menos está exagerado. Depois percebemos que essa raiva é necessária para nos empurrar (desculpem por usar esta palavra tantas vezes) para os tais acontecimentos do fim do livro, o que deixa uma sensação ainda pior para quem lê.
No entanto também devemos perceber o que Rowling tenta passar com essa raiva: um rapaz com demasiada responsabilidade e que não a aguenta sozinho. Ninguém a aguenta sozinho, muito menos quando começa a notar que à sua volta ainda há quem não o aceite como alguém que deva ser ouvido, respeitado. Percebe-se, mas achei forçado todo o comportamento de Harry.

Não me interpretem mal, o livro continua a ser bom, viciante, cheio de magia, alegria, diálogos espectaculares como Rowling nos habituou, e com acontecimentos que serão de enorme importância no futuro… percebo ainda o final que Rowling nos dá, mas é a forma como leva Harry Potter até ele que me desagradou. Afinal Dumbledore simplesmente ficou parvo neste livro, perdendo toda a sua esplendorosa inteligência? Até eu, leitor, percebi que algo estava mal ali. O facto de Rowling ter “rebaixado” a genial capacidade da personagem Dumbledore, é o defeito central deste livro, algo que se agrava quando lemos os livros seguintes e reparamos na grandeza do plano do Director de Hogwarts. Plano esse que é a prova da genialidade de Rowling!

Mas tirando este pequeno detalhe, que peca por não ser consistente com tudo o resto, a verdade é que Rowling consegue manter esta série em grande. A “evolução na maturidade” continua presente, há um enaltecer dos interesses políticos que dão um ar refrescante à saga, temos o romance a aparecer em força, e  muito mais. Rowling mantém a sua capacidade de inovar, de inventar como poucos e novamente acaba o livro em grande, deixando-nos a ferver pelo próximo, ainda para mais ao notar-se como este livro é mais negro, dando uma ideia de como sombrio será o futuro, de que ninguém está a salvo.
Claro que podemos apontar o facto de Rowling apenas nos dar acontecimentos importantes no fim dos seus livros. Podemos ainda apontar o facto de as personagens serem logo à partida definidas entre boas e más, não existindo nenhuma, até agora, que esteja no meio termo… mas também nestes termos Rowling evolui neste livro, e tal irá notar-se ainda mais nos próximos. Rowling tem ainda aquela capacidade rara de nos fazer adorar e odiar personagens, e eu provavelmente nunca odiei tanto uma personagem como odiei a Dolores Umbridge!

No global este livro é o que demora mais a desenvolver, é o mais lento, mas também demonstra momentos muito importantes, sendo sempre um grande livro para qualquer fã da série. Rowling continua a melhorar o seu mundo mágico, a sua escrita continua viciante, continua a ter a sua magia, a ser Harry Potter, a saga que meteu o mundo a ler, e mesmo sendo o que menos gostei de toda a saga de 7 livros, é uma obra com excelentes momentos.
Como sempre digo: leiam esta saga!

4 comentários:

  1. Não é o meu preferido mas também não é o que gosto menos. Em relação ao que falas do Dumbledore, concordo totalmente contigo.

    ResponderEliminar
  2. Foi o que gostei menos. Achei-o muito grande, demasiado a encher. De resto como tu dizes é Harry Potter, sempre viciante.

    ResponderEliminar
  3. achei este livro muito abaixo dos outros. no entanto é impossivel passar por cima. é que depois vem o melhor da saga.

    ResponderEliminar