terça-feira, 9 de outubro de 2018

MINDHUNTER: CAÇADOR DE MENTES


Autor: John Douglas



Sinopse: Os bastidores de alguns dos casos mais terríveis, mais impressionantes e desafiadores investigados pelo FBI .
Ao longo de mais de duas décadas ao serviço desta instituição, o agente especial John Douglas tornou-se uma figura lendária, com uma ação exemplar na aplicação da lei e na perseguição aos mais sádicos e violentos homicidas do nosso tempo. 
Tal como John Crawford em O Silêncio dos Inocentes, Douglas confrontou, entrevistou e estudou muitos assassinos em série, entre os quais Charles Manson, autor dos macabros crimes de Los Angeles no final da década de 1960. Com uma extraordinária habilidade para se colocar quer no lugar da vítima quer na do criminoso, Douglas analisa cada cena do crime, revivendo mentalmente as ações de um e de outro, definindo os seus perfis, descrevendo os seus hábitos, antevendo os passos seguintes. 
Um fascinante relato de vida de um agente especial do FBI e da mente dos mais perturbados assassinos em série que ele perseguiu.
Escrito com a força de um thriller, embora assustadoramente real, Mindhunter é um clássico do género. Um livro que serviu de inspiração à série homónima da Netflix.



Em primeiro lugar é preciso afirmar que ainda não vi a famosa série da Netflix que se inspirou neste livro. Posto isto, este foi um livro que de imediato quis ler quando o vi. Empurrado a ler, não só pelo nome agora conhecido mundialmente, mas principalmente pela sinopse, este livro foi exatamente o que esperava: uma viagem vertiginosa e profunda à mente de alguns serial killers.

Com uma escrita simples e direta, o autor agarrou-me rapidamente e levou-me numa viagem inesquecível pela mente desde assassinos. A força crua como o autor tenta explorar essas mentes é o grande trunfo, ajudando-nos a tirar conclusões que numa primeira análise não seriam imagináveis. Aprofundando vários episódios diferentes, é interessante ver como a própria forma de abordar os cenários vai mudando para o autor. Com a sua experiência a ser o grande fio condutor da sua investigação, e com uma capacidade brutal para juntar ao seu conhecimento a facilidade de "entrar" na mente das pessoas, o autor escreve um livro que parece um thriller, que se lê de rajada e sem qualquer esforço. 

Tendo sido um livro que li a grande velocidade, foi preciso parar para tirar as minhas conclusões, para absorver tudo o que autor me estava a mostrar e explicar. Este é um livro forte, duro, quase alarmante. Ver até onde pode ir a mente humana é uma viagem que pode ter tanto de fascinante como de aterrador. E neste caso, é aterrador, porque sentimos que é real, porque sabemos que é real, porque estamos a ver o lado mais negro da mente humana.

Para minha surpresa, este foi um dos melhores livros que li nos últimos tempo dentro do seu género. Uma viagem arrepiante, direta, crua e que explora os limites de algumas mentes, os objetivos, os sonhos, os traumas. O conhecimento do autor é impressionante e sente-se a cada página, não só pela forma abrangente e clara como fala, ma também pela forma como usa toda a sua experiência profissional para ligar todos os pontos e tornar o livro em algo muito bem estruturado. Se apreciam o tema, acreditem, este é um livro a ter, sem dúvida.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário