quarta-feira, 17 de julho de 2019

A MÁQUINA DO PODER


Autor: Miguel Pinheiro & Gonçalo Bordalo Pinheiro



Sinopse: O que realmente se passa por dentro das campanhas eleitorais dos três maiores partidos portugueses e ninguém vê? Que truques utilizam? Como enchem os comícios de gente? Como decidem os temas dos discursos consoante as sondagens? Como encenam eventos com militantes que passam por cidadãos independentes? O que, de facto, acontece nos bastidores? As maquilhadoras que andam sempre atrás dos líderes, o champanhe que se abre em centros de idosos, as conversas de charme com os jornalistas que acompanham a caravana eleitoral, a preparação dos diretos para os telejornais ou o polémico dinheiro que serve para pagar as campanhas. Estes são alguns dos temas que nos permitem perceber como funciona A Máquina do Poder. Os jornalistas Miguel Pinheiro e Gonçalo Bordalo Pinheiro levam-nos numa viagem inédita aos bastidores das campanhas dos três maiores partidos políticos: PS, PSD e CDS. Com um acesso sem precedentes ao interior de uma campanha, nas europeias de 2014 acompanharam durante semanas os três partidos do poder. E mostram como se financia, como se organiza e como se comporta a máquina que tem a missão de eleger os políticos que decidem o seu futuro. Uma máquina que se movimenta pelo País inteiro, umas vezes de forma silenciosa, outras com estrondo, e que pretende obter apenas uma coisa: o seu voto.



Este é um dos livros mais interessantes que li este ano. É um tema que me agrada, e que não será interessante para alguns leitores, mas aqueles que acabem esta sinopse curiosos, acreditem que é um livro que vale a pena ler.

Tal como a sinopse diz, os autores andaram pelas campanhas eleitorais destes três partidos para perceberem como são planeados todos os passos, desde os discursos, imagem, apresentação, música e público alvo, passando por outros aspetos também importantes, como manipular as notícias, o que dizer a cada jornalista, como passar as culpas para os outros partidos e agarrarem os votos dos indecisos.

É um jogo psicológico de manipulação tanto para as pessoas que estão nas ruas ou nos encontros, mas também para os milhões que vêem televisão, ouvem notícias, lêem jornais ou estão nas redes sociais... é uma máquina impossível de parar, que todos sabemos que existe, que não queremos que exista desta forma, mas que sabemos o quão difícil é de combater.

Um dos aspetos interessantes deste livro é a forma suave como está escrito. Os autores escrevem de forma simples, rápida, sem tornar o livro demasiado denso, para que a leitura seja rápida e deixando o leitor sempre com vontade de conhecer mais truques, mais estratégias, mais formas de viciar o jogo, de empurrar a máquina no caminho normal.

A política é um jogo à parte, estudado, oleado, melhorado ao longos dos anos. Este livro ensina bastante ao revelar como as campanhas são feitas, como as peças do xadrez se movem para ganhar votos, para melhorar a sua imagem ou denegrirem a imagem de outros. É quase uma leitura perturbadora, porque sabemos que é real, conseguimos ver as ligações com a realidade que conhecemos, conseguimos ver as ramificações, como se ganha e como se perde o poder. Um livro a ter na vossa estante e que, infelizmente, não será muito diferente da realidade de outros países.

Luís Pinto


segunda-feira, 15 de julho de 2019

A IDADE DAS DESCOBERTAS


Autor: Ian Goldin & Chris Kutarna


Sinopse: Verifica-se um crescimento da saúde, da riqueza e da educação à escala global. As descobertas científicas florescem. Mas as mesmas forças que permitem lucros fartos a uns conduzem a graves prejuízos para outros - e envolvem-nos de uma forma que a todos torna vulneráveis.
Já passámos por isto. O primeiro Renascimento, a época de Colombo, Vasco da Gama, Copérnico, Gutenberg e tantos outros, redesenhou todos os mapas do mundo, expandiu a informação e transportou a civilização ocidental da era medieval para a moderna. Esta mudança teve um custo: divisão social, extremismo político, choques económicos, pandemias e as outras consequências imprevisíveis dos empreendimentos humanos. Hoje vivemos o nosso segundo Renascimento.



Até que ponto aprendemos com o nosso passado? Esta é a questão deste livro, diretamente e indiretamente, levando-nos por uma viagem em que exploramos a forma como a nossa sociedade se está a moldar às novas tecnologias e descobertas, e a forma como essas descobertas irão mudar profundamente a nossa forma de viver, quer como indivíduos ou sociedade.

Este é um livro que agarra o leitor com facilidade desde que o tema interesse. O livro é suave, capaz de criar um bom contexto e de explorar vais mudanças e descobertas que estão a acontecer ou que irão certamente acontecer nos próximos anos. Com a tecnologia a melhorar imenso a nossa vida e a possibilitar novas descobertas todos os dias, para onde caminhamos enquanto espécie e enquanto sociedade? São estes os temas que o livro explora para termos um caminho a seguir e percebermos até onde poderemos ir.

Claro que um livro que fala sobre este tema, terá de ser bastante abrangente, o que pode ser um problema porque os leitores não irão dominar todas as áreas aqui exploradas. Neste aspeto o livro está muito bem montado, criando o contexto necessário para se perceber o essencial, principalmente para percebermos as implicações e o que poderá mudar, o que não é fácil de adivinhar, porque tudo está a andar demasiado depressa.

O livro explora várias áreas, desde ciências, saúde, física, tecnologia, política, religião, economia, entre muitas outras coisas como a genética, redes sociais, internet ou psicologia, para que a nossa visão seja o mais abrangente possível, sem ser maçador. Os capítulos bem divididos estão, a meu ver, na ordem certa, pois muitos dependem de outros para que um leitor com menos conhecimentos em alguma área não fique perdido.

Quem segue o meu blog sabe que gosto muito de livros sobre conhecimento, inovação, tecnologia, ciências, etc... este é mais um bom livro, que depois de explorar o que já mencionei, tenta mostrar o quanto temos de estar unidos no que realmente é importante para que estes avanços não sejam o início do fim. É preciso mudar mentalidades, é preciso ver o que estamos a fazer e quem irá pagar muito do que estamos a inventar. Desigualdades, radicalismos, entre muitas outras coisas, existem, e temos de perceber porquê e como as combater.

Luís Pinto


sábado, 13 de julho de 2019

30 dias, 30 passatempos - Passatempo Nº34




30 DIAS, 30 PASSATEMPOS


Passatempo Nº34




Aqui está mais um para acabarmos em beleza!

Os 33 passatempos ativos terminam dia 15, estamos mesmo quase lá, e então aqui fica mais um passatempo flash para se juntar aos outros!


Os passatempos estarão ativos nos meus dois blogs, Ler y Criticar e Tek Test.


 
Aproveito desde já para agradecer a todos os que tornaram possíveis estes passatempos!



Vamos oferecer prémios que juntos serão mais de 2000 euros em prémios!

Aproveito também para agradecer a todos os que seguem os meus blogs/canal, que os ajudam a crescer e que participam para que esta iniciativa seja um sucesso todos os anos!




PASSATEMPO  Nº35 (número a indicar no formulário)

Livro - Se sentes não hesites












Regras do passatempo:



Todos os passatempos desta iniciativa terminam dia 15 de julho de 2019

Podem participar as vezes que quiserem, mas só precisam de preencher o formulário uma vez!

É indiferente em que blog participam (Ler y Criticar ou Tek Test)


Como participar:

Preencher o formulário em baixo!

Deverão ser fãs no Facebook (Tek Test - Link aqui) ou no Instagram (Link aqui)

Deverão subscrever no Youtube o canal Tek Test (Link aqui)


No Facebook ou no Instagram do Tek Test, se identificarem 3 pessoas no post deste passatempo, ganham uma participação extra. Procurem o post no nosso Face ou Insta. 


Por cada grupo de 3 pessoas diferentes identificadas, ganham uma participação extra, até a um máximo de 5 grupos!

Portanto, se participarem e identificarem 5 trios de pessoas, ficam com 6 participações (uma pela participação e 5 pelos grupos de pessoas identificadas).


Boa sorte a todos!




sexta-feira, 12 de julho de 2019

PSI-Q


Autor: Ben Ambridge



Sinopse: A psicologia está em todo o lado. Nos nossos desejos e emoções, nas decisões que precisamos de tomar todos os dias - absolutamente todos os aspetos da nossa forma de pensar e sentir têm sido estudados pelos psicólogos. Apresentando esse conhecimento de forma clara e compreensível, o psicólogo inglês Ben Ambridge conduz-nos num passeio pelo mundo da psicologia, revelando quanto ela é essencial para compreendermos o comportamento humano.
Neste livro, Ben Ambridge mostra-nos o que as experiências conduzidas nas universidades mais prestigiadas do mundo revelam sobre nós mesmos, traduzindo para uma linguagem fácil, acessível e divertida os conceitos mais básicos da psicologia.
Com testes interativos, piadas e jogos, irá identificar as características marcantes da sua personalidade, avaliar a sua inteligência e descobrir que valores morais determinam o seu comportamento. Quando chegar ao fim do livro, irá dar-se conta de que passou a conhecer-se muito mais e a tentar compreender melhor as atitudes dos outros.
Descubra as respostas para algumas perguntas intrigantes:
• Porque consideramos os rostos simétricos mais atraentes?
• O que pode o seu gosto musical revelar sobre a sua personalidade?
• A cor dos seus olhos torna-o digno de confiança?
• É sensível às ilusões, e porquê?


Sendo este um tema sobre o qual gosto bastante de ler, esta sinopse cativou-me de imediato e decidi ler o livro, fazer os seus testes e ver o que poderia aprender sobre mim e sobre o cérebro. A verdade é que já tinha feito alguns testes que estão aqui nestas páginas e por isso nem todo o livro foi uma surpresa, mas também é verdade que o achei bastante completo e bem estruturado.

De um ponto de vista académico é um livro que peca por não explicar mais, por não aprofundar os "porquês", de explicar como funciona o nosso cérebro a um nível mais profundo, mas não é esse o objetivo do livro. O que temos aqui é um livro rápido, que nos leva por testes e questionários e que tenta descrever as respostas mais comuns e explicar o porque do nosso resultado nesses testes. Claro que sendo um livro, está limitado às respostas sobre as quais nos poderá dar explicações. Houve um teste, de interpretação de imagens, em que era preciso indicar a primeira coisa que visualizamos. O meu resultado era algo tão específico da minha vida que o livro simplesmente não poderia explicar o porquê do que eu vi, e isso é perfeitamente normal. Apesar destas pequenas limitações, este é um livro bastante bem estruturado, capaz de dar-nos muitas respostas, ser fácil de ler e bastante viciante, sem nunca perder como objetivo levar-nos a pensar sobre a forma como a nossa mente funciona.

Aprendi bastante com as respostas que este livro me deu. Algumas senti que não se encaixavam comigo, o que é normal, pois estamos perante um livro e não uma pessoa que esteja a analisar todo o contexto, por outro lado foi um livro que me fez pensar mais sobre mim, sobre o cérebro e que me levou a momentos em que questionei muita coisa. Não é o melhor livro sobre o género, mas é um livro fácil de ler, viciante e que agradará a todos os que queiram explorar um bocado este tema ou simplesmente saber quais são as suas respostas ou resultados a certos testes. Um livro muito interessante, por isso se olharam para a sinopse e ficaram com vontade de fazer uns testes bastante simples e que podem dar respostas satisfatórios, é um livro a ter em casa!

Luís Pinto


quinta-feira, 11 de julho de 2019

O PERIFÉRICO


Autor: William Gibson



Sinopse: Num mundo dominado pelo virtual, qual é o valor da realidade? Flynne e o seu irmão Burton vivem numa América onde os empregos que não estão relacionados com o negócio da droga são raros.
Burton sobrevive com os apoios concedidos aos veteranos devido a danos neurológicos que sofreu quando fazia parte de uma equipa de elite do exército. Mas o dinheiro é sempre curto e por isso Burton faz alguns biscates a testar jogos de computador.
Certo dia, Flynne aceita substituir o irmão no teste de um novo e misterioso jogo. E a sua vida nunca mais será a mesma.
Não só o ambiente do jogo parece mais realista do que qualquer outro que já experimentara, como Flynne pensa ter presenciado um homicídio. E se é apenas um jogo… porque é que agora a sua vida corre risco?


William Gibson é o famoso autor de Neuromancer, um dos melhores livros de sempre no seu estilo, mas aqui com "O periférico" tem, provavelmente, o seu segundo  livro mais adorado e aclamado pela crítica, vencedor de todo o tipo de prémios para literatura fantástica e ficção científica. O autor que é considerado o pai do Cyberpank tem uma grande variedade de trabalhos e este é, provavelmente, o livro que mais gostei de Gibson.

O que é a realidade? Qual o seu valor? A realidade é subjetiva a cada um de nós? Tendo com base estas questão filosóficas, o autor explora a tecnologia, até onde ela irá, o quanto nos irá enganar e moldar a nossa forma de viver e de ver o mundo, não só como sociedade, mas também como realidade.

O enredo é forte, misterioso e com um ritmo que vai crescendo sem nunca deixar que o leitor se aborreça, porque o autor vai abrindo aos pouco esta realidade que criou, respondendo a perguntas e criando outras novas que nos empurram para as páginas seguintes. No entanto, apesar de o livro se focar bastante no mundo, nas regras e sua coerência, o autor não perde o foco na história principal e na investigação que leva o leitor a fazer. Estamos sempre a procurar falhas, a tentar testar e questionar se o que estamos a ler é a realidade do livro ou não e aos poucos somos, tal como o personagem principal, alguém que não sabe o que é real ou não.

Com uma história coerente e que no fim faz sentido, Gibson teve aqui uma ideia forte, bem explorada, bem concretizada e que apesar da sua complexidade, não é difícil de ler e compreender. Os diálogos são bons, raramente senti que algo estava a ser forçado e a história agarrou bastante porque a parte tecnológica mistura-se muito bem com a parte filosófica. Não é um livro para qualquer leitor, devido às questões que levanta, mesmo que indiretamente, mas se apreciam o género, então provavelmente será um dos melhores livros que irão ler nos próximos tempos. Totalmente recomendado!

Luís Pinto