quarta-feira, 3 de outubro de 2018

FORTALEZA IMPOSSÍVEL


Autor: Jason Rekulak

Título original: The impossible fortress



Sinopse: O primeiro amor de Billy Marvin foi um computador. Depois conheceu Mary Zalinsky. Estamos em 1987 e três adolescentes planeiam um roubo genial: a edição de maio da revista Playboy, com nus integrais da beldade mais apetecível da televisão. Para os jovens, a revista é como o Santo Graal: inestimável, mas impossível de alcançar.
Entre noites passadas a ver filmes, a ouvir música e a jogar computador, Billy, Alf e Clark concebem um plano arriscado: Billy deve tornar-se amigo de Mary Zelinsky, filha do dono da loja de conveniência, e assim conseguir acesso ao interior da loja e às revistas. Mas Mary não é uma adolescente normal: adora computadores, tem um grande sentido de humor e um coração ainda maior. E o que começa como um mero jogo para conquistar a confiança de Mary acaba no maior dilema da vida de Billy: dececionar a rapariga que pode ser o seu primeiro amor ou quebrar a promessa que fez aos seus melhores amigos?



Fiquei mesmo muito curioso com este livro mal acabei de ler a sinopse. Havia aqui algo de adolescente, de nerd, de geek que parecia encaixar totalmente com a ideia base. Tal como esperava, é um livro para adolescentes, com grande foco nos nerds, mas não só. Este é um livro que nos faz sorrir com as ideias dos adolescentes, com os planos que criamos nessas idades, com as confusões que sentimos. A vida adolescente é isso mesmo: uma confusão em que não sabemos o que queremos, ou quando achamos que sabemos, na realidade não é bem assim.

Com uma escrita simples, direta e por vezes divertida, o autor explora a mente dos adolescentes que são nerds, que estão a descobrir algo, que estão confusos, empolgados, sem saberem o que sentem. O contraste entre os vários personagens, rapazes e raparigas, é um dos grandes trunfos deste livro, que ao misturar-se com a cultura nerd e com o sentido de humor de algumas personagens, acaba por criar um conjunto muito interessante de fatores que tornam o livro viciante, fácil de ler mas também capaz de nos recordar momentos da nossa adolescência, mesmo que não tenha sido tão nerd.

Apesar de ser um livro claramente adolescente, com diálogos adolescentes, é viciante ver como estas personagens evoluem, como se alteram durante o enredo e como o próprio livro se torna mais maduro. É um livro de descoberta e que nos leva a criar uma ligação muito interessante com os personagens principais, até porque provavelmente teremos conhecido alguém parecido.

Com uma estrutura inteligente, o autor explora temas mais maduros, leva-nos a olhar para o mundo com os olhos de um adolescente e o resultado é uma leitura rápida e que nos prende até ao fim. Sim, é um livro de nerds, sim, é um livro de adolescentes, mas qualquer leitor já passou ou passará por essa fase, por isso, acaba por ser uma obra para qualquer idade, desde que ainda se tenha alguma parte mais sonhadora dentro de nós.

Luís Pinto


Sem comentários:

Enviar um comentário