quarta-feira, 5 de setembro de 2018

MUNDO SEM MENTE


Autor: Franklin Foer

Título original: World without mind



Sinopse: De Descartes e do Iluminismo a Alan Turing, Stuart Brand e às origens hippies de Silicon Valley, esta obra expõe os fundamentos sombrios das nossas aspirações mais idealistas em relação à tecnologia. As ambições corporativas de Google, Facebook, Apple e Amazon estão a destruir valores liberais instituídos, em especial a propriedade intelectual e a privacidade.
Vivemos um estádio inicial da automação e da homogeneização totais da vida social, política e intelectual. Apenas pela imposição da nossa autoridade privada sobre o modo como interagimos intelectualmente com o mundo, teremos o poder de contrariar esta tendência.
Em jogo está nada mais nada menos do que aquilo que somos e aquilo que seremos.


Como provavelmente já leram se costumam seguir o meu blog, trabalho em inteligência artificial e por isso este é um tema que me interessa bastante. Neste livro, que me agarrou pela sinopse, o autor explora um lado negro da tecnologia e da forma como as grandes empresas do mundo estão a controlar tudo o que nos rodeia.

Este é, claramente, um tema controverso que pode ser abordado de várias formas. Aqui o autor explora as suas convicções e mostra-nos o seu ponto de vista, quer de forma direta ou indireta. Algumas das suas convicções convenceram-me, outras não, mas gostei da forma como o autor explora alguns conceitos e, principalmente, alguns factos. O resultado final é um livro focado na forma como a tecnologia está a alterar-nos a cada dia. Obviamente que todos sabemos que a tecnologia está a alterar a nossa forma de viver a cada minuto, mas o autor explora um lado menos questionado pelos consumidores: se a tecnologia está a mudar-nos enquanto seres vivos e o que advém dessas alterações enquanto pessoas que constituem uma sociedade cada vez mais global.

Sendo a área na qual trabalho, tenho as minhas próprias convicções e visões, mas acho que o fundamental não é explorar aqui em que momentos concordo com o autor e quais em que discordo. O importante aqui é afirmar que o autor me fez pensar pela forma como abordou alguns temas e como junta factos para sustentar o caminho que o livro leva. Sendo um livro bem estruturado e acessível, qualquer pessoa o poderá ler, mesmo sem ter grandes conhecimentos do tema. Afinal de contas, a tecnologia e as grandes empresas são, cada vez mais, senso comum, normais, parte de nós. Será isso bom ou mau?

Se apreciam este tema, então este livro é muito interessante e capaz de nos levar a questionar algumas coisas, ficando a cargo de cada leitor, questionar o que o rodeia, mas também as próprias palavras do autor, para retirar as suas conclusões e adaptar-se ao que está a acontecer. Um livro muito interessante! 

Luís Pinto



Sem comentários:

Enviar um comentário