domingo, 15 de fevereiro de 2015

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO À TERRA


Autor: João Cerqueira



Sinopse: Após regressar à Terra e conhecer a activista Madalena que luta por um mundo melhor, Jesus ver-se-á envolvido em três situações de conflito.
Encontra um grupo ecologista radical  que pretende destruir uma plantação de milho que supõe geneticamente modificada. Assiste à revolta dos habitantes de uma vila contra um empreendimento turístico que vai ser construído numa reserva florestal. Por fim, testemunha um conflito armado entre negros e ciganos.
Neste périplo irá conhecer vários personagens: os referidos ecologistas, um padre que o obriga a confessar-se, um autarca corrupto, empreiteiros sem escrúpulos, um Comandante da GNR obrigado a fazer de Pilatos, os habitantes de um bairro degradado, um bruxo, e um negro e uma cigana apaixonados.
Porém, conquanto se limite a acompanhar Madalena, tentando apenas pacificar os desavindos, nem assim Cristo volta a escapar à fúria dos homens. E apenas um farsante o irá reconhecer.



Para os mais distraídos, João Cerqueira é o autor de A tragédia de Fidel Castro (podem ler a minha opinião aqui), livro com o qual venceu vários prémios e foi nomeado em várias dezenas. Neste segundo livro o autor volta ao seu estilo, num enredo que é mais directo e com uma narrativa mais simples, mas não menos crítico.

Com muito humor e algum non-sense, João Cerqueira cria uma poderosa e hilariante crítica social na qual convida o leitor a ver as ligações, a perceber o que não é dado de forma direta, e a ver o quão ridículo é o que acontece à nossa volta, sem que nada mude. 

Criando um Jesus inadaptado e surpreendido com o que encontra na Terra, o autor leva-nos por uma história em que encontraremos um pouco de tudo, e em cada página a crítica está presente, umas vezes suave, outras vezes acutilante, preparada para nos fazer sorrir. O resultado final leva-nos a enfrentar aqueles que ficaram parados no tempo, presos ao preconceito, incapazes de ver a evolução e a mudança. Encontraremos os egoístas, os altruístas, os que querem ajudar, os que se acham mais espertos... e muito mais... é esta mistura de estereótipos com os quais sorrimos, mas que sabemos existirem, que iremos sorrir neste livro, ao ponto de quase esquecermos a base do próprio enredo: a vinda de Cristo à Terra.

Aqui, Cristo é um olhar que questiona, que não percebe, que tenta compreender e ajudar a mudar, mas enfrentará uma mentalidade que dificilmente se conseguirá mudar com rapidez. A mensagem que o livro passa será criada por cada leitor, pois aqui o autor deixa o livro aberto para quem o lê. A minha interpretação leva-me a um singular momento na qual o autor nos leva à insignificância que cada um de nós é nesta sociedade, e, ao mesmo tempo, o quanto somos importantes para a mudança, para a melhoria dos que nos rodeiam, mas também para melhorar tudo o que existe neste planeta. Afinal, se Cristo chegasse agora à Terra, quem o ouviria? O que mudava? Até que ponto queremos mudar? Até que ponto nos esquecemos dos ensinamentos do passado?

Original e imaginativo, este livro de João Cerqueira era exatamente o que esperava dele: um livro com qualidade, direto, capaz de me fazer sorrir, mas também de enviar uma crítica, de olhar para a sociedade que nos rodeia e ver o que a move. Cerqueira é um nome grande no seu género, um género que em Portugal não é muito apreciado, mas que tem sempre alguma coisa para nos ensinar. E os prémios que este autor ganhou são a prova da sua qualidade.

Luís Pinto

Sem comentários:

Publicar um comentário