terça-feira, 29 de setembro de 2015

31 dias, 31 passatempos: Tempo de matar - Vencedor!


31 DIAS, 31 PASSATEMPOS

Tempo de matar

Vencedor!




Já começaram a acabar os primeiros passatempos que tivemos nesta iniciativa em que disponibilizámos 31 passatempos em 31 dias.

A todos os que participaram, muito obrigado por terem arriscado a vossa sorte e por terem partilhado!

Nos próximos dias teremos mais vencedores, por isso estejam atentos!

O vencedor será contactado por mail para que nos dê a sua morada e receberá em casa o prémio sem qualquer custo. Se ainda não participaram em todos os passatempos, aproveitem s que ainda estão ativos!

E o vencedor de hoje é:

Catarina Amar Fidalgo

Parabéns ao vencedor!

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

31 dias, 31 passatempos: O outro filho - Vencedor!


31 DIAS, 31 PASSATEMPOS

O outro filho

Vencedor!




Já começaram a acabar os primeiros passatempos que tivemos nesta iniciativa em que disponibilizámos 31 passatempos em 31 dias.

A todos os que participaram, muito obrigado por terem arriscado a vossa sorte e por terem partilhado!

Nos próximos dias teremos mais vencedores, por isso estejam atentos!

O vencedor será contactado por mail para que nos dê a sua morada e receberá em casa o prémio sem qualquer custo. Se ainda não participaram em todos os passatempos, aproveitem s que ainda estão ativos!

E o vencedor de hoje é:

Ricardo Pereira Gonçalves

Parabéns ao vencedor!

terça-feira, 22 de setembro de 2015

SEM REGRAS


Autor: John Sandford

Título original: Rules of Pray



Sinopse: O assassino era inteligente. Era membro da Ordem dos Advogados. Deduzia regras com base numa análise profissional de casos reais. Havia mais. Integrava-as num desafio. Era louco, claro… A coberto da capa de uma vida normal, seleciona primeiro cada vítima feminina, até que a pressão que há dentro dele o obriga a sair para «a apanhar».
Dominando a sua arte secreta com as táticas de um mestre dos jogos, lança as Twin Cities numa tormenta de terror mais feroz do que qualquer inverno do Minesota. Este serial killer é um jogador, não é um sociopata como os que vêm nos livros; tem um gosto perverso pelo jogo, tendência que o leva a matar apenas pelo desafio.Lucas Davenport terá de empregar toda a sua força mental - e coragem física - para aprender a pensar e a agir como o assassino.


Começo esta rápida análise por afirmar que este é um livro inteligente. Há trhillers que têm como principal trunfo serem intensos, outros que são fortes, outros são inteligentes. Este é um thriller inteligente pela forma como conduz a narrativa, deixando pistas, direcionando a nossa atenção para certos acontecimentos e, em grande parte, preparando as reviravoltas finais que tornam o livro numa leitura mais coesa e com maior sentido.

Estamos perante um autor que escreve de forma simples, sem deixar de explicar os detalhes necessários à compreensão da trama e dando a sensação de que conhecemos as personagens mais importantes. O ritmo é elevado na grande maioria do livro, com pequenas oscilações em que se percebe que o autor tenta travar o nosso entusiasmo para nos dar uma ideia que nos poderá enganar, não deixando o leitor perder essa noção que poderá ser enganadora. 

Sendo uma narrativa rápida, não existe espaço para um grande aprofundar das personagens mais secundárias, mas as principais têm o tempo de antena necessário para conseguirmos perceber as suas decisões. Este é um enredo de decisões difíceis, quer pessoais, quer profissionais, e o entendimento do contexto em que a personagem se insere é essencial. O autor percebe esta necessidade e consegue usar, de forma disfarçada, alguns truques que ajudam a narrativa a não se desequilibrar perante um olhar mais atento.

Como já disse, este é um enredo inteligente, com o ritmo bem estudado e com as revelações nos momentos certos. O final surpreende em parte e ajuda a juntar todas as linhas da investigação que fiz enquanto leitor. Destaque ainda para a fase inicial do livro em que o autor consegue oferecer bons conceitos sobre o mundo em que o enredo se insere, e essas noções são dadas, em boa parte, de forma indireta, levando a que o leitor perceba onde está inserido sem que o ritmo baixe.

Claro que nem tudo é fantástico. Existem momentos em que se nota alguma falta de objetividade em alguns diálogos e alguns momentos parecem forçados a meio do enredo. Todavia, estes são detalhes que não retiram a inteligência que o livro tem.

Nota-se que o autor tem um bom conhecimento sobre o que escreve e também sobre a forma como deve prender o leitor. Este livro entretém, prende e no fim deixa uma sensação de satisfação se gostarem do género. Não é uma obra prima nem revoluciona, mas conseguiu prender-me e levou-me a um pensamento exaustivo sobre como seriam as revelações finais. Confesso que foi difícil parar de ler. Globalmente é um dos melhores thrillers que li nos últimos tempos, e aconselho a qualquer fã do género.

Luís Pinto

31 dias, 31 pasatempos - Os resultados começam na próxima semana!


31 DIAS, 31 PASSATEMPOS

Já lançámos os nossos 31 passatempos. Alguns já acabaram as datas de participação, mas a maioria dos passatempos ainda estão ativos. Não se esqueçam de participar em todos!

Obrigado a todos os que estão a participar e a divulgar esta iniciativa. Apenas lamento só oferecer um exemplar por passatempo, mas tentarei melhorar essa questão no futuro.

Estando constantemente focado em ler mais livros, dos mais diversos temas, e tentando oferecer opiniões coerentes, o tempo para tudo o resto é escasso. Responder aos vossos comentários, e principalmente aos muitos mails que recebo,  é, quase sempre, muito difícil. 
Por todo o apoio durante estes anos, e por todos os vossos comentários que ficaram sem resposta, acho que esta é a melhor forma que consigo arranjar para vos agradecer, com 31 passatempos. 

Neste momento estou a tentar criar novamente a iniciativa para o Natal, mas não sei ainda se será possível. Espero que sim!

Entretanto, em relação à divulgação dos vencedores dos passatempos, deixo aqui algumas informações: 

- Devido ao elevado número de participações, apenas no início da próxima semana iremos começar a divulgar os vencedores.

- Todas as pessoas que participaram mais do que uma vez num mesmo passatempo, apenas terão a primeira participação aceite. Todos os que enviaram mails ou comentários a dizer que se tinham enganado e participaram duas vezes, não se preocupem, terão sempre uma participação ativa.

 - Os vencedores receberão o livro em casa, sem terem de pagar portes.  

Novamente, a todos os que participaram, muito obrigado.

A todas as editoras, lojas e grupos de distribuição que ajudaram a arranjar estes 31 prémios, o meu muito obrigado!

Boa sorte a todos os participantes.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

O HERÓI DAS ERAS


Autor: Brandon Sanderson

Título original: The Hero of Ages




Sinopse: Para pôr fim ao Império Final e restaurar a harmonia e a liberdade, Vin matou o Senhor Soberano. Mas, infelizmente, isso não significou que o equilíbrio fosse restituído às terras de Luthadel. A sombra simplesmente tomou outras formas, e a Humanidade parece amaldiçoada para sempre. O poder divino escondido no mítico Poço da Ascensão foi libertado após Elend e Vin terem sido ludibriados. As correntes que aprisionavam essa força destrutiva  foram quebradas e as brumas, agora mais do que nunca, envolvem o mundo, assassinando pessoas na escuridão. Cinzas caem constantemente do céu e terramotos brutais abalam o mundo. O espírito maléfico libertado infiltra-se subtilmente no exército do Imperador Elend e os seus oponentes. Cabe à alomante Vin e a Elend descobrir uma forma de o destruir e assim salvar o mundo. Que escolhas irão ser ambos forçados a tomar para sobreviver?



Se procurarem em sites credíveis pelas melhores sagas de fantasia de sempre, encontrarão sempre os grandes clássicos misturados com algumas mais recentes. A mais famosa é a inevitável Guerra dos Tronos, mas há sempre mais três que aparecem lá pelo meio, nas posições mais altas, sendo que dessas três, duas são de Brandon Sanderson. Esta é uma delas...

A saga Mistborn é uma das mais aclamadas dos últimos anos e logo no seu primeiro livro percebi porquê. Aliás, foi a minha leitura favorita do ano passado. Tornou-se num dos meus livros favoritos e o segundo livro, já lido este ano, veio confirmar a qualidade do autor. Agora o terceiro continua a manter a qualidade muito acima da média mesmo tendo em conta que se trata apenas de metade do livro original. Diria mesmo que este será o único ponto fraco do livro, pois ao estar dividido, recente-se por não ter uma conclusão. Todavia, é apenas uma questão de expectativas, pois a divisão do mesmo está feita no momento ideal. Quando este livro acaba a única coisa que irão querer é ter já o livro seguinte!

Sanderson volta a mostrar que é realmente um escritor especial. Neste último livro, o ritmo acelera em direção à conclusão da trilogia e a cada página sente-se a urgência das personagens. Sanderson, uma vez mais, faz uma exploração muito bem conseguida das personagens principais, construindo com suavidade a base que sustentará as decisões mais importantes. Neste livro o destaque vai, ao contrários dos dois livros anteriores, para Elend, que demonstra uma transformação na sua personalidade que certamente será marcante antes do fim da saga. Todavia, mesmo este destaque não é constante, pois o autor está a explorar várias personagens importantes dando-lhes peso que antes não tinham. Com isto a atenção do leitor está mais dispersa, não tão focada num único personagem. Esta estratégia é muito usada, principalmente em fantasia (começar os primeiros livros com um foco num grupo pequeno de personagens, e depois aumentar, também devido ao dispersar das personagens pelo mundo), e Sanderson usa-a com mestria para também desenvolver o mundo.

Todavia é o fantástico leque de personagens que me faz ligar facilmente a este enredo. As personagens são credíveis, o mundo tem uma coesão impressionante e nada parece fora do sítio. Outro aspeto realmente impressionante está na montagem do enredo. Sanderson oferece sempre os detalhes certos nos momentos certos. Somos levados, nos dois anteriores livros da saga, por um caminho que acreditamos ser enganador, só não percebemos onde. Neste acontece exatamente  mesmo. Sei que algo me está a falhar, mas não sei o quê.

Outro aspeto interessante está no acto de em cada livro o autor explorar um tipo diferente de magia, culminando neste livro na exploração do terceiro género de magia presente neste mundo e que começa a dar várias respostas, pois existem várias ligações que já podemos fazer com os livros anteriores e várias perguntas já têm resposta.

Com um excelente ritmo aliado a uma escrita cheia de objetividade, Sanderson prendeu-me, novamente, da primeira à última página, e agora apenas espero que as respostas apareçam no último livro. Parece-me óbvio que Sanderson prepara um grande final que irá ligar cada ponto dos três livros. Também me parece (e aqui devido a uma teoria que tenho desde o primeiro livro) que não será um final feliz, mas sim um final de sacrifício. Só espero que não demore muito até o saber.

Cada leitor tem o seu género favorito, e dentro do género há sempre um estilo ou um mundo, ou uma saga que mais aprecia. Mistborn tem atualmente em mim o efeito que O Senhor dos Anéis teve há quase vinte anos e que anos mais tarde Harry Potter também teve. É aquela necessidade de querer ler mais, de querer absorver tudo o que o autor criou. Resta-me esperar pelo seu final, onde farei uma análise mais profunda... para já, fantástico! Leiam esta saga!

Luís Pinto

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 31 - Cloud Atlas











PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 31

Cloud Atlas




 

E chegámos ao fim da a iniciativa em que tivemos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 17 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



quarta-feira, 16 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 30 - Em parte incerta











PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 30

Em parte incerta




 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 16 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



terça-feira, 15 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 29 - O Pistoleiro











PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 29

O Pistoleiro




 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

À editora SAída de Emergência que tornou este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 15 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



segunda-feira, 14 de setembro de 2015

FRANKENSTEIN


Autor: Mary Shelley








Todos nós conhecemos o seu nome mesmo que muitos associem o nome ao monstro e não ao criador. Frankenstein é considerado o primeiro livro de ficção científica e terror, e qualquer leitor ficará abismado com o facto de a autora ter escrito este livro com apenas 19 anos.

Frankenstein é um livro negro e intenso. A atmosfera que a autora cria é palpável a cada página, criando uma ligação bastante invulgar entre leitor e este personagem do qual nunca sabemos o nome. Aliás, este pequeno toque de nunca sabermos o nome do monstro foi um detalhe fantástico e raro para o seu tempo, pois o leitor nunca olha para a criatura de uma forma totalmente humana, principalmente porque não tem nome. Falta-lhe uma parte da sua identidade e que é essencial a qualquer humano: o nome.

Apesar de ser um livro bastante pequeno, e com ritmo elevado, a verdade é que algumas vezes senti que eu próprio abrandava a leitura, para absorver melhor aquelas palavras antes que acabassem. Claro que, sendo um livro bastante forte em alguns aspetos, não será uma leitura apaixonante para todos os leitores, mas é mesmo difícil não sermos marcados pelos temas aqui explorados indiretamente.

A criatura é, essencialmente, um escravo que procura libertar-se para dar significado à sua vida, para saber quem é, o que deve fazer neste mundo e o que o distingue dos que o rodeiam. Na sua essência este é apenas mais uma pessoa que não se encaixa no mundo que a rodeia, levando a um dos temas mais presentes neste livro sem que se nota de imediato: a solidão e consequente falta de amor.

De forma poética poderia dizer que a solidão deste personagem se ligou com a minha solidão naquele instante em que estou a ler e em que nada à minha volta me desperta a atenção, pois o livro roubou-ma. A verdade é que as palavras da autora são, em vários momentos, murros invisíveis contra a sociedade que despreza o que é diferente.

Somos responsáveis pelo que criamos? De certa forma, estamos aqui perante um pai e a educação do seu estranho filho... do filho que ama e despreza, que abraça e mal trata. É uma poderosa mistura de temas que uma autora de 19 anos conseguiu colocar num livro tão pequeno e que muito poucos autores conseguem alcançar. Esta criatura, por muito artificial que possa ser, apresenta várias aspetos humanos, e um deles é a necessidade de se ligar a alguém e ser amado.

Não existe muito mais que possa dizer sobre este livro sem falar do seu enredo. Frankenstein é um livro que nos deixa tensos e que nos rouba horas de sono até o acabarmos. Um dos maiores clássicos de sempre do terror, talvez ao lado de Drácula, Frankenstein é um livro que se deve ler e reler um dia, talvez captando outros significados, tanto nas suas personagens como no seu final. Fantástico!

Luís Pinto

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 28 - O Herói das Eras











PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 28

O Herói das Eras




 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

À editora SAída de Emergência que tornou este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 14 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



sexta-feira, 11 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 27 - O Poço da Ascensão










PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 27

O Poço da Ascensão




 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 11 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



quinta-feira, 10 de setembro de 2015

LONGE DA MULTIDÃO


Autor: Thomas Hardy

Título original: Far from the Madding Crowd




Sinopse: Longe da Multidão narra a história de Gabriel Oak e da sua grande paixão pela bela, independente e enigmática Bathsheba Everdene.
Chegada a Weatherbury como herdeira de uma vasta propriedade rural, a jovem é também pretendida pelo sedutor sargento Troy e pelo respeitável agricultor de meia-idade Boldwood. Ao mesmo tempo que os destinos destes três homens dependem da escolha de Bathsheba, ela descobre as terríveis consequências do seu coração inconstante.


Longe da multidão é um livro sobre as partidas que o nosso coração nos prega e o quanto isso nos consome e altera a nossa vida.
Num enredo em que 4 pessoas criam uma teia amorosa da qual será (ao personagem principal) difícil sair, este livro agarra o leitor pela facilidade com que passa algumas mensagens. Do meu ponto de vista, este livro tem como fruto uma escrita que salta entre momentos mais simples, e outros em que a inteligência e a montagem do próprio enredo ganham peso. Os momentos em que o livro nos revela algo são quase sempre perfeitos para que se compreenda o que cada personagem pensa e sente, levando a uma boa compreensão de algumas decisões.
 
Gostei do enredo, que apesar de não ser revolucionário, faz o que lhe compete, agarrando o leitor com alguns momentos divertidos, outros que primam pela originalidade, mas principalmente pela exploração da personagem principal que se torna no catalisador de todo o enredo. Aos poucos, o enredo começa a explorar o amor, aquele sentimento que nos agarra a uma pessoa, que nos motiva, dá esperanças, mas que também pode levar ao desespero e loucura. E é nessa exploração que percebemos como o livro nos tenta levar a sentir o peso das decisões do coração e o resultado das mesmas.
 
O resultado da leitura é ficarmos perante um livro que é, ao mesmo tempo, romântico e perturbador pela forma como o amor nos manipula. A isto alia-se um bom ambiente, que me surpreendeu pela positiva. Apesar de o autor não nos dar descrições extensas sobre o que rodeia as personagens, não baixando assim o ritmo de leitura, oferece o detalhe suficiente que se alia a uma boa objetividade, dando à narrativa a capacidade de nos transmitir algo com poucas palavras.
 
No entanto o trunfo principal do livro está na rapariga pela qual vários se apaixonam. O autor cria uma personagem feminina interessante, principalmente pela forma como o faz. Enquanto vamos lendo, percebemos que esta jovem é descrita de uma forma, mas que as suas ações demonstram exatamente o contrário. Esta ilusão criada pelo autor demonstra como ela e como os apaixonados a examinam, mas o leitor consegue perceber que a realidade é outra. Apreciei este contraste, talvez por sentir que não é falha do autor, mas sim a sua forma de me mostrar como o amor pode ser cego em alguns momentos.
 
Claro que o livro também tem falhas. Em alguns momentos é previsível e alguns diálogos parecem não ter o objetivo bem definido, mas nada que estrague a leitura. Não é, obviamente, uma obra prima nem revoluciona o género, mas é um livro que consegue alterar o estado de espírito do leitor. O final agradou-me bastante apesar de ter antevisto algumas situações. O autor arrisca em certos momentos e bem, criando uma conclusão com a intensidade que o livro merecia e que dão o toque final de qualidade. Se apreciam o género e se o tema vos agrada, então provavelmente gostarão deste livro.

 Luís Pinto

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 26 - Divergente - Blu-ray










PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 26

Divergente


Blu-ray

 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 10 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 25 - Metal Gear Solid V - PS4










PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 25

Metal Gear Solid V
The Phantom Pain

Jogo PS4

 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 9 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



terça-feira, 8 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 24 - A espada de Shannara











PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 24

A espada de Shannara


 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 8 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!



A RAINHA CRUCIFICADA


Autor: Gilbert Sinoué

Título original: La reine crucifiée




Depois de Vitor Hugo, Montherlant e outros artistas, Gilbert Sinoué vem juntar-se ao rol de contadores da trágica história de amor de D. Pedro I e Dª Inês de Castro. 

Na Europa trecentista, impaciente pelas epopeias marítimas que profetizavam um ponto de viragem, a narrativa envereda pela corrida entre as potências europeias querendo chegar primeiro ao oriente e pela procura da esperança no domínio da Terra Santa. Traz-nos a famosa carta do Prestes João e o seu misterioso reino que atiçou guerras entre tronos e setores da cristandade na disputa pelo descobrimento dos mares. É no seio destes alvoroços,que, escondidos pelo véu do amor, encontramos o perturbado infante D. Pedro e a bela e proibida Inês de Castro.

A narrativa progride cronologicamente, saltando de lugar em lugar, consoante a ocasião. Os espaços principais são Montemor, residência da família real, e Avinhão, residência do papa, mas, à maré dos acontecimentos, surgem-nos também outras cidades e campos pertinentes no acompanhamento da história. Estes pulos no espaço e as poucas páginas dedicadas a cada fração criam situaçãoes de suspense em ações não reveladas, permitindo também manter o leitor entusiasmado no encalço global da história em todos os seus planos espaciais. Porém, na linha do tempo, os acontecimentos parecem mandriar até ao remate trágico, e acelerar a partir desse ponto, dedicando escassas páginas ao desvendar das consequências do clímax. Acrescento ainda que o culminar dos acontecimentos centralizado, como seria de esperar, na morte de Inês, é narrada de forma demasiado repentina, parecendo diluir-se numa abreviada lista cronológica onde é exposto o que resta da história.

Sinoué conta-nos esta história de amor no seu lado mais romanceado, pese embora a carga histórica muito bem enquadrada e a notável investigação. D. Pedro, o Justiceiro para uns e o Cruel para outros, é aqui retratado num infante perturbado e ultrarromântico como, de resto, se sabe que era. Façamos apenas um pequeno reparo a ligeiros anacronismos cometidos na ilustração histórica durante o relato de alguns momentos gastronómicos e comerciais. O autor escreve-nos ao sabor da época, introduzindo termos trovadorescos de modo bastante expressivo que se enquadram perfeitamente na perspetiva romântica que escolheu para esta obra.

Assim lemos as páginas de um romance histórico ligeiro e equilibrado na sua proporção de História, narração, esfera envolvente e floreados literários. Estes são ingredientes que resultam numa sensação de admiração perante a obra e de aprendizagem de um episódio histórico balizado numa cronologia perfeitamente adequada. No fruto desta combinação está um livro que conta uma história de que toda a gente sabe mas que poucos conhecem, permitindo-nos aprofundá-la e descobrir os seus recantos doces e amargas.

Luís Pinto

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 23 - O Império Final











PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPOS - 2015

DIA 23

O Império Final


 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulário, partilharem o passatempo em redes sociais e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 7 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!

NA PRESENÇA DE UM PALHAÇO


Autor: Andrés Barba

Título original: En presencia de un payaso



Sinopse: «Talvez fosse essa uma das piores tragédias do palhaço: a de que toda a gente desejasse constantemente que o palhaço fizesse de palhaço sem descanso, até ao fim dos tempos.» O cientista Marcos Trelles prepara-se para publicar um artigo numa importante revista da especialidade, mas terá de anexar uma curta biografia de trezentas palavras. Nas duas semanas de que dispõe para a escrever, viaja com a esposa até à casa da sogra, falecida um ano antes, para resolver de vez o problema da herança. Na mesma altura, regressa a Espanha Abel, o cunhado, que pretende vender a casa da mãe e desfazer-se da última coisa que o liga ao país onde nasceu. Célebre comediante já reformado, foi ele quem, anos antes, empreendeu uma campanha política que elegesse um manequim para o Congresso, como forma de desmascarar o teatro político que nos subjuga.
Quem sou eu? Esta interrogação desafia Marcos a encontrar, no caos do nosso quotidiano de austeridade e desemprego, uma possibilidade de ordem dentro de si, mas igualmente dentro de um país despedaçado. No mais recente romance de Andrés Barba, a prosa limpa esconde a navalha com que se escalpeliza o espetáculo da política.



Num livro pequeno e com uma escrita interessante, esta obra leva-nos num caminho em que o objetivo é a procura sobre a verdadeira identidade do personagem principal. Com este objetivo, temos pela frente uma viagem curiosa, marcada pelo humor, pelas dúvidas, pelos medos e, inevitavelmente, pelo momentos em que o personagem se perde, para depois se voltar a encontrar.

Um dos melhores aspetos deste livro são os seus personagens. O autor, que eu nunca tinha lido, explora de forma interessante a forma como uma pessoa se vê e como se consegue auto-avaliar, culminando, tal como se espera desde o início, nos choques entre a forma como nos vemos e a forma como as pessoas nos vêem, levantando dúvidas mas também dando ao leitor, e ao personagem, novas realidades, novas noções de si próprio que até então lhe falharam.

Gostei bastante da temática do livro apesar de em alguns momentos sentir que o autor poderia ter explorado mais alguns conceitos. A base tem significado e tem pernas para andar mas, no entanto, nota-se que o autor não quer tornar o livro demasiado denso. O ritmo é agradável do início ao fim e a leitura nunca foi um esforço, muito graças aos momentos de humor que duas personagens conseguem criar de forma constante mas quase sempre inesperada.No entanto, talvez devido à temática, fiquei sempre à espera que o autor explorasse alguns conceitos. No entanto, no final percebe-se qual o caminho do autor. Um caminho inteligente e inesperado em alguns momentos, e que talvez não agrade a todos os leitores, mas que está bem montado e bem pensado.

Indiretamente, este livro levanta várias questões, e um leitor que faça uma leitura mais pausada e atenta conseguirá perceber até onde o autor quer chegar e a forma como nos quer levar a pensar. Os temas são atuais e a forma como o ser humano é aqui exposto envolto na sociedade que criámos, leva a que este seja um livro bastante adulto, mesmo apesar de o autor não ser totalmente objetivo. O resultado é um livro maduro e inteligente, mas que em alguns momentos poderia ter sido mais. A mim não me marcou como esperava, mas não posso negar a sua qualidade. como tal, acredito que muitos leitores o achem fascinante pela viagem que nos oferece.

Contudo, este é um livro aconselhado a qualquer leitor que ao ler a sinopse sinta a curiosidade de ler estas páginas que têm tanto de alegres como de melancólicas... sentimentos normais quando nos tentamos ver a nós próprios. Se este tema for o vosso género, então este reconhecido autor poderá dar-vos aqui uma boa leitura.

Luís Pinto

sábado, 5 de setembro de 2015

31 Dias, 31 Passatempos - Dia 22 - Duna












PASSATEMPO

31 DIAS, 31 PASSATEMPO - 2015

DIA 22

Duna


 

Continuamos com a iniciativa em que teremos um passatempo por dia, durante 31 dias.

A todos os que tornaram este passatempo possível, o meu muito obrigado. Esta é a forma com a qual quero agradecer a todos os que passaram por este blog durante todos estes anos e desejo boa sorte a todos!

Para se habilitarem a ganhar este livro basta preencherem o formulários e serem fãs ou seguidores do blog.
Depois é só ter alguma sorte e este prémio será vosso!

Apenas é permitida uma participação por pessoa

O passatempo termina dia 5 de outubro!

Boa sorte a todos! 

Amanhã, novo passatempo!

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

SONHOS DE DEUSES E MONSTROS


Autor: Laini Taylor

Título original: Dreams of Gods and Monsters





Este fim de trilogia consegue melhorar toda a saga pois dá as respostas necessárias e também porque oferece uma compreensão sobre os livros anteriores. Mas vamos por partes...

Em primeiro lugar, a autora volta a arriscar nuns momentos e a ter mais ponderação noutros, tal como tinha acontecido em toda a saga. Acredito, pelo que vejo aqui, que a autora tem noção que tem muito mais qualidade a desenvolver enredos com base em personagens do que com base em batalhas. Com isto o livro acaba por ganhar alguma maturidade e perder alguma ação, mas sem deixar de ter surpresas e momentos intensos.

O foco está nas personagens, tanto nas já conhecidas, como em algumas novas que dão um toque adicional de qualidade e de coerência ao enredo, tornando-o mais abrangente e encaixando melhor com um mundo muito interessante. Aliás, um dos trunfos da autora desde o primeiro livro é o mundo criado, não só por ter alguma coerência, mas também por ser abrangente, não existindo grande necessidade do leitor em questionar tudo. Aqui, a autora demonstra que este mundo tem muita história anterior ao próprio enredo da saga, aumentando a "mitologia" que envolve algumas personagens, explorando passados e consequentes ligações que não eram esperadas. Com isto começam a aparecer as primeiras respostas, e a verdade é que a autora responde a quase todas as perguntas importantes que ficaram dos livros anteriores, tornando este final em algo satisfatório e conclusivo.
 
Destaque ainda para a escrita da autor que no meu entender encaixa bem no enredo pela forma como mostra a história ao leitor. Escrita simples, na grande maioria direcionada para o público feminino, e uma boa montagem da narrativa para nos dar revelações nos momentos certos. Existem pelo meio alguns momentos mais forçados, mas que não conseguem manchar o livro nem travar o ritmo da leitura.

Sendo um fim de trilogia, não quero mencionar nomes ou acontecimentos que possam ser spoilers para este ou para os livros anteriores. Todavia, é preciso mencionar que a autora consegue um ritmo interessante pelos altos e baixos que tem, com algumas revelações a acelerarem a leitura, e depois travando com alguns diálogos que não pareceram ter um objetivo definido. No global, a sensação com que fiquei é que este poderia ter sido um livro mais pequeno, mas é apenas uma sensação que existe em alguns momentos, pois a autora consegue criar algum entusiasmo em todos os capítulos.

Claramente direcionado para o público feminino, principalmente este último livro, esta é uma trilogia de altos e baixos, mas que vale a pena lerem se gostarem do género, não só por ter um mundo muito interessante, mas também pela forma como se desvendam os últimos segredos, tornando-o numa conclusão muito interessante. Entusiasmante e rápido, acredito que seja uma trilogia que muitas leitoras irão adorar. Se este é o vosso género, então é uma saga a ter na prateleira. Se não conhecerem o género mas quiserem experimentar, esta é uma saga que facilmente vos poderá conquistar.

Luís Pinto